24.7.06

«O que prescreve, Senhor Doutor?»

NOTA: Este texto foi publicado com algum atraso, pois foi escrito quando se soube que as Finanças tinham detectado dívidas no valor de 231,5 milhões de euros e cujos processos de cobrança haviam prescrito - pura e simplesmente.
O texto-base, já aqui publicado em tempos, está em «Comentário-1»

1 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

A moeda do João Pateta

Há um número que todos os portugueses deviam saber de cor para poderem aferir da importância de certas economias e investimentos que o Governo apregoa: trata-se do 17 MIL MILHÕES, o valor oficial (em euros) da fuga ao fisco.

Não sei se os 231,5 milhões (correspondentes a processos que o Estado deixou recentemente prescrever) estão, ou não, incluídos. Mas, embora, comparativamente, seja pouco dinheiro, mostram uma realidade preocupante: trata-se de dívidas que o Estado identificou correctamente, mas que NÃO CONSEGUIU COBRAR a tempo. E o mais curioso é que esse número é maior do que no ano passado, e deve aumentar no futuro! A explicação para isso é tão simples como caricata: com a melhoria dos serviços, o Fisco passa a conseguir detectar casos desses que, dantes, NEM SEQUER SE SABIA que aconteciam!

Em vez de nos enervarmos com ausência de resposta à pergunta óbvia («O que sucedeu aos responsáveis por essa vergonha?»), riamos antes com uma velha história
do João Pateta - que vem bem a propósito:

- Então tu perdeste a moeda que te dei, grande maroto?!
- Perdi-a, porque tinha um buraco no bolso, minha mãe. Mas já encontrei!
- E onde é que a encontraste?
- Não, mãe. O que encontrei foi o buraco!

24 de julho de 2006 às 11:59  

Publicar um comentário

<< Home