25.7.08

Telejornais

Por Joaquim Letria
TENHO ORGULHO de recentemente ter sido convidado a integrar uma equipa que engendrou a grelha de programas e de informação duma estação de TV que emite já, com bastante sucesso. Tenho amigos em Londres, Edimburgo, São Paulo e Munique que frequentemente se lembram que posso ser útil nestas coisas. O que é bom, porque conheço jovens e novos conceitos e porque me sinto útil e experiente.
Falo nisto unicamente por termos passado dias a analisar estudos de mercado e de opinião antes de termos decidido que os três telejornais diários não poderiam ser mais extensos do que 12 minutos, excepcionalmente, poderiam atingir um máximo de 17!
Claro que ali a informação conhece outros formatos, mas as prioridades e hierarquias são outras. Quando falei em telejornais de uma hora, ninguém acreditou. E quando lhes mostrei, não queriam acreditar!
«24 Horas» de 25 de Julho de 2008

Etiquetas:

5 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

O pior, por cá, às vezes nem é tanto a extensão em si mesma, mas o "encher chouriços", a ideia de que 'aquela extensão' do telejornal é artificial.

Quantas vezes os estúdios passam a palavra a um repórter no exterior que se limita a dizer que não há novidades?

Pior ainda, o facto de RTP1, SIC, SIC-N e TVI darem as mesmas notícias ao mesmo tempo e, por vezes, com as mesmas pessoas e palavras. Até a hierarquia das notícias é, com frequência a mesma.

Viu-se com a selecção de futebol (no Euro 2008), na Quinta da Fonte, no Vale e Azevedo, no Gonçalo Amaral (caso Maddie), no caso Esmeralda...

25 de julho de 2008 às 09:39  
Blogger brunette said...

Ora aqui está um assunto que eu gostava de ver esclarecido. A extensão dos nossos telejornais já tem sido motivo de conversa entre amigos, porque nos outros países realmente não passam dos 15-20 minutos. Se os estudos de mercado que consultou confirmam que não devem exceder esse tempo, porque é que os nossos se arrastam por mais de uma hora? Não seria de fazerem outros programas, magazines, sei lá, onde pendurassem os chouriços?

25 de julho de 2008 às 14:10  
Blogger Joaquim Letria said...

Exactamente. Nos outros países há entrevistas, talk shows, programas de opinião, análise, reportagem e debates.Cá também havia.Agora enchouriçam tudo no TJ, que fica mais barato e distrai mais da importância das coisas.
Os rapazes sabem o que fazem...
TJ deve ser só para dar notícias de 1ªPágina... pois...

Um abraço do

Joaquim

26 de julho de 2008 às 09:36  
Anonymous Anónimo said...

Eu não me importo muito com a extensão dos nossos TJ, o que me incomoda realmente é a pouca qualidade das noticias apresentadas. Monótonas, repetitivas e supérfluas. Assim como a escolha das notícias, porque as importantes não aparecem! Diz que é uma espécie de censura... Ou será antes manipulação?

28 de julho de 2008 às 17:48  
Blogger Joaquim Letria said...

Meu caro,

É o gatekeeping em todo o seu esplendor, com uns pozinhos de manipulação.

Mas mal disfarçado!

Cumprimentos.

Joaquim Letria

29 de julho de 2008 às 20:21  

Publicar um comentário

<< Home