7.9.08

(...)
CONTINUANDO a divulgar a saborosa colectânea de textos intitulada «Sem Cura Possível», de André Brun, aqui fica mais um capítulo - [ver aqui].
Desta vez, trata-se de uma história que toda a gente já ouviu contar, ficando a dúvida se foi o autor de «A Maluquinha de Arroios» quem a inventou. É bem possível que sim, pois está perfeitamente de acordo com as do inesquecível «A Malta das Trincheiras».

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger R. da Cunha said...

Não reza a estória que o general de divisão tenha sido agraciado com uma medalha. Mas é bem provável; se não de imediato, deve ter arranjado maneira de o ser.

7 de setembro de 2008 às 22:37  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Esta história, embora com outra redacção, é lida em determinados cursos (*) para exemplificar como as mensagens (pelo menos as analógicas...) se degradam de cada vez que são passadas a outrém.


(*) Eu apanhei-a em dois, nomeadamente num curso de Qualidade e noutro de Formadores

7 de setembro de 2008 às 22:41  

Publicar um comentário

<< Home