5.9.08

Somos todos ciganos

Por Antunes Ferreira
EM TEMPO SALAZARENTO, Portugal era o País dos três efes: Fátima, Futebol e Fado. Hoje, Portugal é o País dos três efes: Fundos, Finanças e Futebol. A História, por mais que queiram que ela mude constante e permanentemente, bem ao contrário vai avançando com bastas repetições, mas, sobretudo, com muitas adaptações.
Somos, aliás, uma raça de adaptados – e de adoptados. Costumo dizer que somos ciganos. Não os dos tiros, das desordens, das feiras, dos roubos, da droga – que os há, como é sabido. Se calhar, também temos um qb destes nos cromossomas a que temos direito. Porém, aqui, é outro conceito. Para constatar que somos uma mistura aciganada, basta que miremos a nossa genealogia.
Os residentes sem cartão mas residentes, começaram, segundo dizem, por ser os ibéricos. Na fila (antigamente eu usava bicha, mas hoje…) encontramos os lusitanos, os romanos, os vândalos, os suevos, os alanos, os visigodos, os mouros, e diversos outros que não menciono para não esgotar as listas de registo e as respectivas certidões. Mesmo assim, convém não esquecer os fenícios e os gregos. Muitos.
(...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger R. da Cunha said...

..."colonizámos sobretudo na cama."
Terá sido? Palpita-me, porquanto não sei de experiência, que foi mais no capim e assim...
Ah!, eu continuo a dizer bicha, nortenho que sou.

6 de setembro de 2008 às 18:24  
Blogger Manuel Silva said...

Senhor A. Ferreira

Quando escrevi a seu respeito não sabia que era cazado com uma Senhora de Goa. Eu sou um damanense de Damão. Desculpe quando o ensultei, mas não sabia. Peço-lhe que me perdoi. Já cá estou à 28 anos mas ainda me engano pois cometo êrros. Comprimento-o e a Sua Excelentissima Espoza também.

8 de setembro de 2008 às 20:45  

Publicar um comentário

<< Home