19.10.08

A morte de Cleópatra

Pormenor de A Morte de Cleópatra- Hans Makart, 1875
Por Nuno Brederode Santos
PELOS SEUS PRÓPRIOS MEIOS - e porventura engenho e vontade - o PSD recolocou-se numa dilacerante encruzilhada. Um dia se saberá se por acção ou omissão, mas o certo é que Manuela Ferreira Leite (MFL) abriu as portas ao regresso em força de Santana Lopes, desencadeando uma espécie de segunda volta do último Congresso, que todo o País julgava encerrado. Um Congresso que ela ganhou (mesmo que por magra margem), deixando Passos Coelho num segundo lugar (que uns considerarão honroso e outros promissor) e fechando estrondosamente as portas ao populismo da componente mais arcaica do partido, na pessoa de Santana, mas com óbvias e graves repercussões para as ambições de Luís Filipe Menezes e Alberto João Jardim. Agora - e sem razão aparente - é ela que lhe reabre o caminho para uma candidatura à Câmara de Lisboa, um cargo que Jorge Sampaio elevou a umbral de todos os cargos e que, num partido de oposição, corresponde ao segundo ou terceiro mais importante de todos os lugares electivos.
(...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas:

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Por mais natural que fosse pensar que a carreira política de Pedro Santana Lopes, a ter continuação, seria impossível sem um looooooongo período de reciclagem, aí está de novo "L'enfant terrible" a provar que ainda pensa ter aspirações no panorama político português.
Vemos noticiada em vários meios de comunicação social a mais que provável candidatura de PSL à Câmara Municipal de Lisboa, com o incontornável aval de Manuel Ferreira Leite.
Podemos ler ainda em vários jornais que a aposta do PSD em Santana Lopes é pelo seu partido considerada a melhor para derrotar António Costa.
A minha opinião é a que se segue:
Pedro Santana Lopes continua na sua demanda desesperada e cega de ter algum tipo de protagonismo e poder. Desesperada porque está sem margem de manobra e não há muito por onde se agarrar. Cega porque é incapaz de observar que a sua imagem já não transmite (para aqueles que alguma vez transmitiu) credibilidade e competência.

O PSD de MFL parece assim sem pudor abdicar de disputar a vitória nas autárquicas Lisboetas para ser cúmplice no suicídio político de Santana Lopes e daí tirar dividendos.

Enfim, politiquices.

19 de outubro de 2008 às 14:28  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

PSL é uma das inúmeras personagens que é incapaz de se aperceber de "como é visto pelos outros".
É o que os brasileiros resumem em 3 palavras: «Não se enxerga».

Na prática, e neste caso, vais servir para branquear (por comparação) a mediocridade de A. Costa e dar-lhe uma vitória imerecida. E A.º Costa bem precisava de levar um susto...

19 de outubro de 2008 às 14:34  
Blogger Jorge Oliveira said...

Li bem ? Jorge Sampaio elevou a presidência da CML a umbral de todos os cargos !?

Só por brincadeira, ignorância ou cumplicidade partidária alguém pode dizer uma enormidade destas, pensando que toda a gente anda por aqui a passear de barrete enfiado pela cabeça baixo...

Porque o que Sampaio faz foi rebaixar o cargo de presidente da CML ao nível de trampolim. E logo 2 em 1.

De facto, na candidatura à presidência da CML, Jorge Sampaio participou numa descarada manobra de “trade-off” com o monarca Mário Soares, colocando o respectivo filhinho em número dois da lista, para este o substituir quando ele, Sampaio, se candidatasse à presidência da República.

Uma vez na presidência da CML, como substituto, bastaria ao jovem João executar as piruetas demagógicas em que é especialista para ser vencedor nas eleições seguintes.

E tudo aconteceu como previsto. Se alguma observação há a fazer é a de que os palermas do PSD têm muito que aprender com os socialistas. Sinistros, mas eficazes.

20 de outubro de 2008 às 09:25  
Blogger Jorge Oliveira said...

Para se assimilar melhor a "elevação" que Jorge Sampaio deu à CML, é elucidativo ler este artigo de Mário Crespo :

http://jn.sapo.pt/Opiniao/default.aspx?content_id=1019168&opiniao=M%E1rio%20Crespo

O problema das ideologias é que os "nossos" são sempre bons rapazes, façam lá que fizerem.

E a "ideologite" crónica é uma doença que tem na visão o efeito das palas nos burros...

21 de outubro de 2008 às 13:07  

Publicar um comentário

<< Home