20.1.09

«Acontece...» - Passatempo com prémio

Por Carlos Pinto Coelho

Foto de reportagem num mercado de arte do Rio de Janeiro.
Escreva o que ela lhe sugere.
Como habitualmente, o autor do melhor texto (a publicar em comentário até às 20h da próxima sexta-feira, dia 23), será premiado com um livro.
NOTA: Esta fotografia, como todas as outras aqui afixadas com o título genérico «ACONTECE...», é da autoria de CPC.
Actualização (24 Jan 09/12h05m): a vencedora é Cristina, a quem se pede que, nas próximas 48h, contacte sorumbatico@iol.pt.
O júri considerou também premiar Alex HAL, mas não conseguiu perceber a razão das aspas na palavra povo. Usam-se aspas para atribuir a uma palavra um significado diferente do que ela tem na realidade. Qual o novo significado que Alex HAL quis dar a povo, para o meter entre aspas? Não se percebeu, e por isso não se atribuíu prémio.

Etiquetas: ,

16 Comments:

Blogger pedro oliveira said...

inveja daqueles chapas estarem de manga curta e eu aqui a bater o dente de frio.


os quadros que representam as duas senhoras, é o contraste entre uma vida dura de trabalho e o deslumbre de um corpo levemente vestido.

Pedro Oliveira
vilaforte

20 de janeiro de 2009 às 12:14  
Blogger Mg said...

Dois irmãos. Ambos veem o retrato da sua bisavó, a primeira da família a chegar a terras do Brasil.
Ao lado, e algumas gerações depois, a imagem da filha de um, sobrinha de outro.
Da bisavó, a lembrança de alguém que sempre lutou para que um dia os seus descendentes pudessem viver livres.
Da filha e sobrinha, a recordação de alguem que foi levada por uma bala perdida, numa disputa entre gangs por mais um pedaço de território onde possam levar a cabo o seu negócio e aumentar a sua fortuna à custa da miséria do próximo.
Aconteceu há um mês. E acontece hoje. E muitas outras vezes, e não só no Brasil..

20 de janeiro de 2009 às 13:40  
Blogger Alex HAL said...

Lição ao Estado:

Faça-se a Arte chegar ao "povo" para o "povo" chegar à Arte!

20 de janeiro de 2009 às 19:26  
Blogger Musicologo said...

"Não percebo nada disto, mas sei do que gosto!"

21 de janeiro de 2009 às 00:27  
Blogger JSA said...

O fascínio da beleza feminina transcende cores, classes sociais ou autores das pinturas. E um mercado de rua pode ser também uma fonte de beleza mesmo para quem não possa ir aos leilões da Christies.

21 de janeiro de 2009 às 09:34  
Blogger Sobolas said...

Palavras chaves desta Foto - A Beleza, a Arte e a Contemplação.

Possibilidades Aleatorias:
- Contemplação da beleza da Arte.
- A Arte como contemplação da Beleza.
- A Beleza para a Arte da Contemplação.

E no fim o que eles dizem é:

Puxa que bonito! Puxa que cores! Puxa que mulheres! Puxa que calor!Vamos nessa mané...

21 de janeiro de 2009 às 15:56  
Blogger Catarina said...

E de entre todas as imagens, eles pararam para contemplar aquela que continha seios desnudos...

21 de janeiro de 2009 às 18:35  
Blogger Susana said...

"Que belo quadro!" pensa o de cabelo grisalho.
E o seu amigo perscruta o horizonte com uma ideia fixa: "Há chôpe ali na frente!"

21 de janeiro de 2009 às 18:45  
Blogger Ana said...

Arte é algo que não falta aos nossos irmãos brasileiros. Estive o ano passado no Brasil e fiquei maravilhada com tanta beleza transposta na pintura e não só! O artesanato é sinceramente sublime! O avião veio um bocadinho carregado, só eu tinha 30 kg de bagagem.
Estes dois quadros em particular, transparecem a mulher brasileira de antigamente dos tempos da escravatura, do trabalho duro transposto nas rugas que marcam a sua cara. O outro pelo contrário marca uma nova geração, em que a beleza despida de preconceitos floresceu do Brasil. O povo brasileiro é um povo puro e feliz, a maioria das pessoas não tem a malícia e o intuito de enganar o próximo (próprio dos europeus. Vivem felizes com o pouco que a vida lhes dá e comemoram a vida de uma forma única. O oceano podia trazer-nos um pouco da alegria deles e levar-lhes uma melhoria de condições de vida!!

21 de janeiro de 2009 às 21:58  
Blogger cristina said...

Porque Arte é do género feminino.
Porque fêmea tem odor a mel, flores e leite.
Mulher é mistério frequentemente, sofrimento às vezes e ternura sempre.
Arte é contemplação.
Contemplação é do género feminino.

22 de janeiro de 2009 às 20:18  
Blogger Tuga_man said...

"Bonita, bonita a gatinha hein!!

Pena que o nascimento de gostosonas assim não Acontece cá!!!"

22 de janeiro de 2009 às 20:30  
Blogger RP said...

Para além das pinturas, do contraste entre preto e branco, detenho-me em quem as observa.

Magia negra? Amarração? Feitiço?

Mais do que um íman, que atrai, algo há que os prende a eles e a mim.

Será Arte? Sim, a imagem captada pela câmara.

23 de janeiro de 2009 às 00:26  
Blogger João Rodrigues said...

Uma lavagem à vista, através da fixação no erotismo das fotos, abrindo portas para o remanso da noite que há-de surgir.

23 de janeiro de 2009 às 16:17  
Blogger Neusa said...

A beleza subjectiva...
Retratada em diferentes gerações...
O mesmo orgulho de ser mulher... Apreciado pelo homem comum...

23 de janeiro de 2009 às 17:28  
Blogger Alex HAL said...

Só para explicar, as aspas serviram de ressalva à palavra povo que temi que soasse perjorativa ou como se eu me estivesse a excluir da própria concepção de povo.
É outro uso comum das aspas, para precaver o uso de uma palavra que certamente gerará polémica.
Não queria que houvesse uma arrogância intelectual, um julgamento preconceituoso ou uma disposição depreciativa.
Era somente isso.

24 de janeiro de 2009 às 13:33  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Registamos o seu comentário, mas um dos membros do júri convida-o, com simpatia, a passar pelos livros sobre português de Aldónio Gomes e Fernanda Cavacas para ali se aperceber do rigoroso sentido da
aplicação das aspas na língua portuguesa.

24 de janeiro de 2009 às 15:02  

Enviar um comentário

<< Home