3.4.09

O meu neto quer ser bombista

Por Maria Filomena Mónica
DE CADA VEZ que fico em casa com alguns dos seus pimpolhos, a minha filha receia que regressem danificados. Com o tempo, a sua ansiedade tem vindo a diminuir, mas o medo de acidentes foi substituído pela ideia que de tal forma os mimo que eles lhes chegam às mãos mentalmente desarrumados. Há dias, depois de ter lido neste jornal que existia em Lisboa um «Borboletário», pensei que seria engraçado levar até lá o meu neto de cinco anos. Apesar de insistir que preferia andar de bicicleta, obriguei-o a ir até ao Jardim Botânico, um local que me é familiar desde a infância. Mal entrámos na estufa de borboletas, virou-se para mim e disse-me com ar blasé: «Mas eu já cá vim com a escola…». (...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger rc said...

Por vezes as crianças sintetizam os ensinamentos de forma curiosa.

O que prova que até uma boa ideia, mesmo bem transmitida, pode ser sempre mal interpretada. Funciona igualmente com adultos, que já não têm a traquinice como desculpa...

3 de abril de 2009 às 11:13  

Publicar um comentário

<< Home