17.5.09

AO CONTRÁRIO do que possa parecer à primeira vista, este jipe não foi multado - nem por estar em cima do passeio, nem por qualquer outro motivo, pois o papelinho que se vê no pára-brisas é apenas um folheto publicitário. Vale a pena, aliás, tentar perceber porque é que ele ali está estacionado - ver [AQUI]...

4 Comments:

Blogger R. da Cunha said...

Gostava de entender a mentalidade destes sujeitos.

17 de maio de 2009 às 12:34  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Numa sociedade sem regras, reina a lei da selva e cada um faz o que quer (na medida em que o deixem fazer).

Em Lagos, a PSP praticamente só actua a pedido - e, mesmo assim, nem sempre!

Já aqui contei uma cena em que, com a entrada da porta de casa bloqueada, interpelei um graduado que ia a passar.

RECUSOU-SE A ACTUAR!!! Disse-me que apresentasse queixa na esquadra.
Eu devia ter apresentado queixa, sim, mas dele.

17 de maio de 2009 às 13:13  
Blogger MTeresa said...

A PSP em Lagos é uma vergonha! Já me aconteceu mais de uma vez querer entrar ou sair da garagem e ter um carro a tapar por completo o portão de acesso (havendo lugares disponíveis em frente dos muros, mas isso ia dificultar a entrada a quem goste de pular muros!), chamar a polícia e demorarem tanto tempo que o dono acaba por aparecer 1.º.

Neste caso, como tantos outros que há por esta pequena cidade, é a falta de civismo e educação que reina. Do outro lado do cruzamento fica a estação dos CTT e durante a semana é o pandemónio com os estacionamentos em 2ª e até em 3ª fila em frente desta estação dos CTT, havendo nas pracetas ao lado lugares que até chatei escolher 1!

17 de maio de 2009 às 14:14  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Precisamente nesta zona, e há minutos, vi um carro bloqueado pela PSP.
Fiquei tão admirado, que parei para o fotografar - e vi então que se confirmava o que atrás digo:

O carro estava a ocupar um espaço reservado, e o dono desse espaço deve ter chamado a polícia.
A prova é que, a toda a volta, o caos e a impunidade lá estão.

Estas alminhas (as autoridades a quem pagamos e que se demitem das suas funções) não percebem que, para que uma terra seja um destino turístico de qualidade, a 1ª coisa a fazer é garantir um mínimo de ordenamento.

17 de maio de 2009 às 17:04  

Publicar um comentário

<< Home