16.5.09

Dito & Feito

Por José António Lima
A NOTÍCIA de que o inquérito a alegadas pressões sobre os magistrados que investigam o caso Freeport ia dar origem a um processo disciplinar ao procurador Lopes da Mota foi uma novidade mal recebida pelo PS. Que reagiu com um silêncio gélido e preocupado. Só quebrado, depois, pelo porta-voz Vitalino Canas para responder, na defensiva, aos outros partidos que pediam o afastamento de Lopes da Mota da presidência do Eurojust.
«Procurar retirar quaisquer ilações políticas é puro oportunismo», limitou-se a considerar Vitalino. Sem impedir que qualquer eleitor atento e informado vá retirando cada vez mais ilações políticas de todo este processo. (...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger Manuel Brás said...

A falta de seriedade
em funções tão sensíveis,
conduz à leviandade
de atitudes repreensíveis.

Vivendo na obscuridade
a transparência fica tapada,
a descoberta da verdade
não pode ser decepada.

Na justiça acreditando,
embora toda a confusão,
o mexilhão vai constatando
que não se tapa a razão.

16 de maio de 2009 às 18:10  

Publicar um comentário

<< Home