29.1.10

A burka, o nikab e a santíssima paciência

Por Helena Matos

COM TANTO SANTO e santa existentes no calendário católico ou, na versão laica desse calendário, dia disto e dia daquilo não percebo como nunca se dedicou um dia à santíssima paciência. A santíssima paciência tornou-se uma virtude essencial para sobrevivermos mais ou menos sãos de espírito num mundo onde começa por não se fazer o que se deve para se acabar a fazer o que não se pode. Veja-se a actual discussão em França sobre a proibição da burka e do nikab, ou seja daqueles véus e mantos que cobrem integralmente o rosto e o corpo das mulheres, e percebe-se ao vivo e em directo este paradoxo.
Durante anos, no ocidente, achou-se normal que mulheres com o rosto velado votassem (Canadá) ou tratassem dos mais diversos assuntos oficiais veladas, sendo que a sua identidade não era realmente confirmada. (...)
Texto integral [aqui]

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger Sepúlveda said...

Então em que é que ficamos? Não se pode usar mas não pode ser proibido? Isso parece-me um grande desafio para os legisladores.

Mas baniram burkas ou coberturas da cara?
Se foi a segunda concordo que não se deva permitir alguém andar com a cara completamente tapada, nem que seja só por uma questão de segurança.
As mulheres podem sempre dizer que querem usar a burka e, sem indícios de ser por obrigação e etc., não temos nada que duvidar da sua palavra.

29 de janeiro de 2010 às 22:13  

Publicar um comentário

<< Home