25.6.10

As SCUT na Alemanha

COMO as autoestradas não nascem do chão nem caem do céu, alguém acaba sempre por as pagar - se não é nas portagens, é na conta da electricidade ou no IVA das cebolas...
Veja-se, no entanto, o que sucede na Alemanha: como tem milhares de quilómetros de autoestradas, os automobilistas acabam sempre por passar por elas. Assim, o Estado aplica uma taxa, calculada em termos médios, que inclui no imposto de circulação. Um nosso leitor, actualmente a residir nesse país, dá mais algumas indicações:

«Para os ligeiros, não há portagens em nenhuma autoestrada alemã. Exceptuando-se os autocarros, os pesados (incluindo os estrangeiros) precisam de pagar, desde 1 Jan 09, uma taxa de circulação por km - ver [aqui]. O financiamento das estradas vem especialmente do imposto de circulação. P. ex.: um Ford Focus 1.6 Diesel paga € 247/ano.
O essencial, em português, pode ser lido [aqui] e [aqui].

2 Comments:

Blogger al cardoso said...

Era de facto uma boa solucao, eu sou a favor de portagens para quem as usar.
A este respeito publiquei a minha opiniao no "auidalgodres".

Um abraco dalgodrense.

25 de junho de 2010 às 23:03  
Blogger andrecruzzzz said...

pois é..é exactamente este o problema..é q o automobilista já paga imensos impostos meus srs.. nós já temos i.a., iuc, iva, isp, iva sobre isp..
e um focus dos novos paaga d iuc mais ou menos isso presentemente..é um fartar vilanagem no esmifrar da populaça!!

26 de junho de 2010 às 16:22  

Enviar um comentário

<< Home