23.6.11

Moby Dick - Pergunta de algibeira

Mostram-se, aqui, duas imagens que pretendem representar o Capitão Ahab (ou Achab), do romance Moby Dick. Dado que, como se vê, uma foi obtida a partir da outra (por "espelho"),

Pergunta-se: Qual delas é que está mais de acordo com o texto original da obra?
Resposta: ver comentário das 22h04m

6 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Atenção: não se pergunta qual das 2 imagens é a original (e qual é invertida), mas sim qual é que está de acordo com o texto do romance.

23 de junho de 2011 às 17:26  
Blogger Arq. Luiz Crespo de Carvalho said...

a imagem da direita retrata o ahab como 'perneta' da direita...

23 de junho de 2011 às 17:59  
Blogger 500 said...

Deverá ser a da esquerda, já que, creio, a perna amputada é a esquerda.

23 de junho de 2011 às 19:01  
Blogger Contumaz said...

Trata-te Medina, trata-te com urgência.
Pode ser que ainda vás a tempo...

23 de junho de 2011 às 19:12  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Na realidade, H. Melville nunca esclarece qual a perna amputada, o que, para a execução da versão cinematográfica, levantou problemas ao realizador John Huston.
No filme, em que o capitão é interpretado por Gregory Peck, foi adoptada a opção referida por "500" - mas foi puramente arbitrária.

NOTA: A curiosidade em causa foi abordada por Umberto Eco no seu ensaio «Dire quasi la stessa cosa» («Dizer quase a mesma coisa») sobre os problemas e as limitações da tradução.
O autor analisa pormenorizadamente os problemas que surgem quando uma obra é transposta para outro meio de expressão (poesia para dança, pintura para teatro, romance para cinema - como neste caso, etc), e não só de uma língua para outra língua.

23 de junho de 2011 às 22:04  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

(Cont.)

A conversão de uma obra para uma língua diferente (ou para um outro meio de expressão) obriga, quase sempre, à perda de informação.

Em certos casos, no entanto, o "tradutor" é obrigado a fazer o inverso: incluir, na 'obra de chegada', informação não contida na 'de partida'.

No caso de textos, esse acrescento costuma ser feito sob a forma pobre de "notas explicativas".
Para o caso da 'tradução' entre meios diferentes, Eco escolheu este exemplo da perna amputada.

O livro é muito interessante, especialmente quando relata as soluções que o autor teve de negociar com os tradutores dos seus livros - nomeadamente com «O Nome da Rosa» para finlandês!).
Foi editado em Portugal, pela DIFEL, em 2003.

24 de junho de 2011 às 10:10  

Publicar um comentário

<< Home