23.6.11

O duelo que honra Portugal

Por Ferreira Fernandes

A IMAGEM é de um jornal inglês: o milionário Roman Abramovich abrindo uma boneca russa... Depois de uma boneca, outra, depois de José Mourinho, André Villas-Boas...
Ora as matriochkas respeitam as leis da física, a segunda boneca sendo necessariamente menor que aquela que a contém. O tablóide The Sun, com a elegância costumeira, foi por aí: chama "mini-Mourinho" ao novo treinador do Chelsea. "Segunda escolha", chamam-lhe os outros jornais, porque Abramovich começou por querer o treinador da selecção turca, Guus Hiddink. Mas "segunda escolha" é elogio - significa que Villas-Boas conquistou o que à partida não lhe estava destinado. É o que diz o jornal The Independent: o Chelsea primeiro pensou em Villas-Boas como adjunto de Hiddink "mas depois ficou tão entusiasmado que o quis para treinador principal". Pronto, já lá está.
Ontem, Villas-Boas deu a táctica para o primeiro combate: não quis concorrer com a tabuleta "Special One". Os jornalistas perceberam a mensagem: a CNN disse que ele se apresentou "without pomp or bravado", sem pompas nem bocas. No fundo, ele explicou que há dois tipos de bonecas russas. Umas, que imitam a primeira, mas em sucessivas diminuições. Outras, que são sempre diferentes, em sucessivas surpresas. A ser matriochka, André Villas-Boas é destas últimas.
O nosso Comércio Externo devia tirar partido do duelo, lançando o slogan: "O que é português é especial, nunca chapa única."
«DN» de 23 Jun 11

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger rouxinol de Bernardim said...

Em potugal tudo é especial!
Até a crise é bestial...

24 de junho de 2011 às 07:52  

Enviar um comentário

<< Home