28.10.11

Ganhando por dois "carrinhos" (ou mais...)

EM RESPOSTA a este comovente apelo ministerial, aqui fica uma sugestão múltipla:

«Senhor ministro, peça ao seu colega do MAI que mande cobrar as verbas correspondentes a quem se mostra disposto a pagar para fazer o que aqui se documenta. Ao mesmo tempo, providencie para que vão para olho da rua os indivíduos que são pagos para evitar que isto suceda e não o fazem; assim, o Estado poderá ganhar pelo lado da cobrança e pelo da redução da despesa. Claro que estou a referir-me aos peões que, pretextando não poder usar os passeios, circulam pelo meio da faixa de rodagem, infringindo o Código da Estrada».
Lisboa - Rua Violante do Céu
Ontem e hoje

6 Comments:

Blogger 500 said...

Caro CMR, isto não pode ser em Lisboa. V., de certo, enganou-se (não terá sido intencional, concedo), mas numa feira semanal numa qualquer vila ou aldeia da "província" e aí a GNR e a autarquia semi-cerram os olhos.

29 de outubro de 2011 às 18:48  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Muito pior do que esta rua é a Av. do Brasil, ali ao lado, onde a autarquia (Junta de Freguesia, dizem), retalhou os passeios, convertendo-os em parques de estacionamento legais, onde a EMEL cobra.

Tenho inúmeras fotos daí, mas não quero saturar o blogue com esse "mono-tema"...

29 de outubro de 2011 às 19:04  
Blogger Táxi Pluvioso said...

Cobrar multas já o fazem, mas de facto virão aí muitas mais. Haja imaginação para inventá-las e nisso somos mesmo bons.

31 de outubro de 2011 às 07:38  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

T. Pluvioso

Não, o problema não está em "cobrar" ou "não cobrar".
O problema é que há sítios, em Lisboa, onde cobram "sempre" (Av. de Roma, frente ao 40, p. ex.) e outros onde não cobram "nunca".

Já tenho divulgado a lista destes últimos, mas "eles" não vão lá multar, pois há amiguismos e protecções, mesmo à vista de todos.

Aqui fica uma pequena lista:

Av. EUA frente ao 102.
Largo de Entrecampos, entre o 2A e o 4 e junto ao Modelo.
R. Frei Amador Arrais, entre o 1 e o 7.
Av. Óscar Monteiro Torres, frente ao 66.
Praça do Chile, frente ao Chimarrão.
Av. Almirante Reis, frente ao Império.
R. Infante D. Pedro, junto ao quiosque dos CTT.
Praça da Figueira, frente ao 12 (e paragem da Carris).
R. Fanqueiros.
Topo Norte do Campo Grande (placa pedonal).

Se algum dia for aí multado, eu pago-lhe a multa!

Etc, etc, etc...

31 de outubro de 2011 às 08:08  
Blogger Táxi Pluvioso said...

Ah, bom. Talvez haja esquadras que precisem mais de dinheiro do que outras.

31 de outubro de 2011 às 09:14  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

T. Pluvioso

Quando se fala em "esquadras", pensa-se em PSP. Ora a PSP de Lisboa há muito se demitiu de combater o estacionamento selvagem. Diz que isso é com a P. Municipal e com a EMEL.

Sucede (e isso não é segredo para quem conhece a cidade) que há os chamados "lugares PROTIN" (de PROtegidos e INtocáveis), onde se pode fazer o que se quiser, sem quaisquer consequências: junto de stands de automóveis, oficinas, cafés, restaurantes...

Aqui ficam mais alguns desses:

Av. da República, entre a esquina da R. José Carlos Santos e o Campo Grande.
Idem, do lado oposto (junto ao antigo teatro).
Esquina da Av. Sacadura Cabral com a David de Sousa.

Há ainda o lugar à porta da Assembleia Municipal de Lisboa (mesmo onde está a placa de Paragem Proibida) - mas, esse, costuma estar ocupado com carros e carrinhas da Polícia Municipal.

Como é evidente, tenho dezenas de fotos de todos esses lugares, que só não afixo para não saturar o blogue com essa espécie de obsessão.

31 de outubro de 2011 às 09:40  

Publicar um comentário

<< Home