25.6.13

«Dito & Feito»

Por José António Lima
PAULO Portas não pára de nos surpreender. Agora, resolveu inovar e abrir o Congresso do CDS duas semanas e meia antes da data marcada.
Aparecendo ao país numa declaração de 64 minutos centrada na sua moção de estratégia e transmitida em directo por várias televisões. Esta intervenção de fundo serviu para aumentar de dois para três os seus tempos de antena mediáticos proporcionados pelo Congresso de 6 e 7 de Julho. Além disso, permitiu a Portas transmitir três ideias que merecem registo.
A primeira é a reafirmação clara de que o país precisa de um Governo estável e de que o CDS se oporá a uma crise política antecipada. Não haverá, pois, mais TSU, pensões, impostos, orçamentos ou autárquicas a ameaçar rupturas na coligação. Ficamos todos mais descansados.
A segunda é a transformação do CDS no maior apoiante político do Presidente da República (com mais entusiasmo até do que o próprio PSD...) quando este enfrenta uma fase difícil de popularidade. São várias as referências elogiosas de Portas às chamadas de atenção e discursos de Cavaco Silva. Ficamos todos com um sorriso perante tal evolução.
A terceira é a pulsão a que Portas não consegue resistir de tirar o tapete ao seu parceiro de coligação e de Governo. O líder do CDS descarta responsabilidades, demarcando-se do memorando da troika que, por acaso, até assinou... mas «não ajudou a definir» (como fez o PSD). Atira o ónus das más decisões e medidas mais impopulares para cima de Passos e Gaspar, como «a TSU à custa dos rendimentos do trabalho» ou «a TSU dos pensionistas» que o CDS rejeitou. Chama a si, com o maior descaramento, os louros do Governo e, «sem procurar ser exaustivo», enumera 25-medidas-25 que têm «a impressão digital do CDS»: dos genéricos ao IVA de caixa, passando pela suspensão do TGV. E termina propondo «o desagravamento do IRS», entre outras benesses e reformas – que, a cumprirem-se, será por mérito seu e, a não se cumprirem, será por incapacidade ou bloqueio de Passos, de Gaspar e do PSD em geral.
Paulo Portas tem um apurado sentido de gestão do espaço político. Perde-se é nos excessos de encenação e de presunção.
«SOL» de 21 Jun 13

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger Antonio Cristovao said...

realmente o joker deve encantar os seu fieis escudeiros. será que lhes promete uma viagenzita nos submarinos? mais que não seja até as berlengas.

26 de junho de 2013 às 01:02  

Enviar um comentário

<< Home