26.11.15

Cavaco Silva e a estabilidade democrática

Por C. Barroco Esperança
Cavaco Silva demorou cinquenta e um dias de vingança, ressentimento e declarações incendiárias para indigitar António Costa como primeiro-ministro do XXI Governo Constitucional.

Foi o tempo perdido para a decisão inevitável onde introduziu o insólito verbo ‘indicar’, próprio de um cavador de enxada, inadequado ao léxico constitucional. Foi o lapso de tempo de quem preferiu os interesses do PSD aos do País, uma birra ao sentido de Estado e a retaliação gratuita contra 62% do eleitorado que não o suporta.

Cavaco, ao submeter-se aos interesses e prazos da coligação da pior direita que capturou o PSD e o CDS, não previu que as últimas eleições legislativas seriam também o castigo à sua conduta presidencial.

Como ninguém lhe disse que em quatro países europeus, Dinamarca, Bélgica, Letónia e Luxemburgo, o primeiro-ministro não é do partido que teve mais votos nas eleições, não percebeu que a fúria reacionária era um entrave ao bom funcionamento das instituições, adiando a inevitável indigitação de António Costa. Só não se adivinhava que julgasse incompatível o apoio ao PS por partidos que eventualmente gostasse de ver ilegalizados.

O PR que deu posse à ministra das Finanças de um governo de coligação, apenas com o PSD, em exótica cerimónia de que estiveram ausentes os membros do CDS, incluindo o líder irrevogavelmente demissionário, desejou furtar-se à indigitação do governo saído da sede própria, a A.R., afrontando o mais representativo órgão de soberania.

O homem que, do mundo, só reteve o estreito espaço que separa o Poço de Boliqueime da Travessa do Possolo, em Lisboa, é capaz de represálias contra um governo legítimo até ao despejo constitucional da família Silva do Palácio de Belém.

Para a normalidade democrática não basta o novo governo, é urgente mudar de PR.

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger opjj said...

CAVACO foi a votos e ganhou 5 eleições.
O 1º governo até à tomada de posse levou 89 dias,
o 2º 32 dias, o 3º 75 dias, o 4º 31 seguintes; 29, 27, 20,21, 29
Ora Cavaco levou 18 dias.
Seja sério e homenzinho e isento.
Vamos ter 500.000( nº mentiroso) emigrantes de retorno, muitos empregos com bons salários, muito boas pensões, uma boa casa para todos, muito boas férias, etc.
Vieira da Silva, ao meu Pai com 100 anos em 2008, tirou-lhe( na sua linguagem roubou-lhe) 53€ numa pensão de 198€, porque o meu Pai tinha uma pensão de França de 268€. Ambas as pensões adquiridas com mais de 70 anos.A mim também me tirou (roubou na sua linguagem) 150-80=70€ que são dados ao combatentes em Outubro com + 2 anos de guerra. A reforma que fez com a indexação de toda a carreira contributiva, pilhou a todos e ninguém berrou.Era para durar até 2030?
Seja sério.
Passe bem.

26 de novembro de 2015 às 09:52  
Blogger Leo said...

Regresso à cleptocracia! e que famintos eles estão

26 de novembro de 2015 às 22:13  

Publicar um comentário

<< Home