31.12.15

As próximas eleições presidenciais-8

Por C.Barroco Esperança
A presença obsessiva de Marcelo Rebelo de Sousa na comunicação social é de tal modo obscena que a informação passou a propaganda e a exposição do candidato a massacre.
Se vier a confirmar-se a vitória de quem se ouvem todas as opiniões sem se escrutinar o eu passado, cumprir-se-á a profecia do falecido Emídio Rangel: «A televisão tem igual eficácia na venda de sabonetes e presidentes da República».
Marcelo Rebelo de Sousa, José Miguel Júdice, Santana Lopes, Manuel Durão Barroso e António Pinto Leite surgiram no início de 1984, organizados, para fazerem regressar ao poder, por via democrática, a velha política, sob o pseudónimo de “Nova Esperança”.
Foram decisivos em dois congressos do PSD, em 1984 [Braga] derrotando Mota Amaral com Mota Pinto e, especialmente, em 1985 [Figueira da Foz], na improvável ascensão à liderança partidária do obscuro salazarista Cavaco Silva, derrotando João Salgueiro.
Marcelo não foi apenas líder do PSD, foi sempre o defensor das posições que são hoje minoritárias na sociedade portuguesa, por mais anestesiada e aturdida que se encontre.
Ninguém confronta Marcelo, o candidato presidencial solicitado a pronunciar-se sobre todos os assuntos, incluindo o S.N.S., onde revela a beata compaixão e cínico desacordo com o desinvestimento do último governo mas em contradição com o seu voto, no PSD, contra a Lei de Bases. Lutou ainda contra a universalidade do SNS, alegando a injustiça do seu caso, que podia e devia pagar a saúde, e tinha direito à gratuitidade. Demagogo!
Ninguém lhe lembra a sua oposição à despenalização da IVG ou ao chumbo do primeiro projeto para a legalizar nos casos de risco de vida de mãe, malformações ou violação.
Este Marcelo humanista, que lava mais branco o passado do que qualquer detergente as nódoas, será o mesmo cujos preconceitos pios condenariam à morte mulheres cuja vida fosse incompatível com a gravidez, e à gestação obrigatória as vítimas de violação e as grávidas de um feto teratogénico?
Este Marcelo, que esteve vários anos a vender a imagem nas televisões e a ser pago, que agora a consolida em todos os canais, sem o remorso judaico-cristão de ver ostracizados os concorrentes diretos, será o mesmo que demagogicamente afirma que as candidaturas não deviam receber donativos particulares?
Este Marcelo, amigo do peito e da hóstia de banqueiros, respeita a identidade partidária que o atual inquilino de Belém, por indigência cívica, não suporta?
Este Marcelo, que foi à Festa do Avante em ecuménico branqueio, será o que denunciou ao padrinho a presença perigosa dos comunistas no Congresso de Aveiro?
Este Marcelo, que aceitou o ser presidente da Fundação Casa de Bragança, saberá que o cargo é incompatível com a ética republicana e a presidência da República?
Este histrião pode agradar à populaça mas não serve a democracia.

Etiquetas:

8 Comments:

Blogger Táxi Pluvioso said...

Já não quem ature o candidato da marmita, vamos levar com ele dez anos, se não morrer antes.


UM BOM ANO

31 de dezembro de 2015 às 13:42  
Blogger José Batista said...

Por mais defeitos que tenha, e tem, Marcelo R. de Sousa será, provavelmente, o próximo presidente de república. Os dados estão (bem) lançados (no interesse dele). Se o for, como tudo parece indicar, não será com o meu voto. Restar-me-á, então, o fraco consolo de que sempre é algum progresso, relativamente à nódoa cavaquista. Mas, antes disso, há eleições e, quem sabe, talvez o resultado seja uma surpresa.
A mim agrada-me a firmeza serena e convicta de Maria de Belém. Não tenho dúvidas de que ela está à altura. E o país ganhava alguma coisa, ainda que simbolicamente.
Pronto, agora que já fiz a minha (minúscula) acção de campanha, voluntariamente, sem que ninguém queira saber dela para nada, despeço-me. Até para o ano. Bom Ano Novo.

31 de dezembro de 2015 às 15:10  
Blogger Carlos Esperança said...

José Batista:

Tem todo o direito à sua ação de campanha e, agradecendo-lhe o comentário, desejo a todos os leitores um feliz Ano Novo, sem cavaco nem Passos Coelho.

31 de dezembro de 2015 às 16:08  
Blogger 500 said...

2016 só pode ser um bom ano. Já viram que nos livrámos do Pedro, do Paulo e do Aníbal?
(E o CMR, que não diz nada? Um abraço para ele)

31 de dezembro de 2015 às 19:27  
Blogger lino said...

Um Bom 2016, Carlos!
Abraço

31 de dezembro de 2015 às 21:42  
Blogger opjj said...

Não vão ao médico não. Isso pega-se a cabeças levezinhas.Logo à noite carreguem no botão e vejam o contador dos emigrados com bons empregos e salários entrados. Já desceu para 499.999 (menos 1, o ministro, já conta).Já agora também, arrajem mais um contador para os desempregados e ponham-no em 1 milhão e 300 mil como dizia o PC e BE.Daqui a 4 anos estas cabecinhas vão ficar muito felizes pelo sucesso.

1 de janeiro de 2016 às 11:49  
Blogger opjj said...

Já em 1988 prédizia MIGUEL TORGA " É DA FALTA DE MEMÓRIA"
Bom Ano,merecem e precisam.

1 de janeiro de 2016 às 11:58  
Blogger ilha da lua said...

Hoje,o mediatismo encarrega-se de apagar as ideias, de ofuscar os debates profundos.
Quem vence não são os melhores projectos ,mas quem tem o melhor assessor de imagem, a melhor equipa de marketing...E, assim vai mundo...Cada vez mais oco, mais leviano, mais injusto e menos solidário

6 de janeiro de 2016 às 01:01  

Enviar um comentário

<< Home