8.9.07

ESSA PALAVRA ARGUIDO "SO TYPICAL!"

Por Ferreira Fernandes
VAI HAVER FESTA EM COIMBRA, pátria da adolescência dos penalistas nacionais. Conseguiram! A sua especialidade, lendo os jornais estrangeiros de ontem, exportou-se. Tal como já acontecera com o queijo da serra e o pastel de Belém, a palavra "arguido" conquistou o mundo.
"What is an 'arguido'?", titulava o inglês Guardian. Ao que respondia, também em título, o espanhol El Mundo: "'Arguido', figura para el sospechoso oficial em Portugal."
E o francês Le Monde pediu a um jurista luso para explicar a típica palavrinha. Ele compara com "suspeito" mas alertou: "Não implica acusação exacta."
E, assim, se demonstrou a paternidade portuguesíssima de "arguido". Este é uma coisa em forma de mais ou menos. Está para os touros de morte como a tourada portuguesa. Arguido é todo curvas, é uma pega de cernelha. É acusar e dizer em seguida: "Mas não leve a mal, homem." Mais português é impossível.
A palavra "arguido" conquistou o mundo. Só falta convencer os juízes.
«DN» de 8 de Setembro de 2007-[PH]

Etiquetas:

6 Comments:

Blogger bananoide said...

Acerca do caso Maddie seguem dois textos excelentes (em inglês). É bom ver que a imprensa britânica não lança apenas atoardas à PJ e aos media portugueses e já começa a fazer análise com algum distanciamento:

Times: How couple helped to build ‘brand McCann’ into global phenomenon

Telegraph: We all so want to admire Kate McCann

8 de setembro de 2007 às 13:06  
Blogger R. da Cunha said...

Salvo melhor opinião, os exemplos do queijo da serra ou do pastel de Belém não são os mais adequados para comparar com a "eportação" do termo e conceito de arguido. Muito mais typical seria o galo de Barcelos, esse sim, só "nosso" e identificativo do Zé do Bordalo. Ou então o "fadô). (Excluo destas coisas, claro, o Vinho do Porto, que joga noutro campeonato).

8 de setembro de 2007 às 18:17  
Anonymous Anónimo said...

Caro Medina,

Deixe-me dizer que só você para desencantar uma desta e me fazer rir em fim de expediente.

Obrigado.

10 de setembro de 2007 às 03:53  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Mário da Silva,

Por lapso, esqueci-me de indicar, em cima, que esta crónica é de Ferreira Fernandes, do «DN», um amigo/convidado do SORUMBÁTICO.

10 de setembro de 2007 às 08:14  
Anonymous Anónimo said...

Sim! Eu reparei.
Mas você é que a publicou e o agradecimento foi por isso também.

10 de setembro de 2007 às 16:00  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Normalmente, quando os textos não têm, logo em cima, o nome do autor, são de minha autoria, pelo que, neste caso, podia ter surgido a dúvida. Ainda bem que não.

Ferreira Fernandes é um amigo do SORUMBÁTICO que, como outros (C. Fiolhais, João Miguel Tavares, António Barreto, etc), disponibiliza tudo o que escreve, mas como "convidado".

Pode ser que um dia aceite o convite (já feito, evidentemente) para "contribuidor"...

10 de setembro de 2007 às 16:43  

Publicar um comentário

<< Home