24.1.06

Pena

EMBORA saibamos de antemão que não somos eternos, quando desaparece alguém que nos marcou muito a juventude temos pena. Muita pena...

2 Comments:

Blogger António Viriato said...

É verdade, deixou-me muita pena também. Em miúdo e na adolescência ouvia os Parodiantes com frequência, sempre com agrado, pela inventividade que os animava. Não é qualquer um que consegue fazer humor, sobretudo sem recorrer à boçalidade. Eles faziam-no diariamente, com imaginação, sem grosserias desnecessárias e assim continuaram ao longo de decénios. Deviam os novos humoristas da Rádio e das TV inspirar-se nestes exemplos, em lugar de imitarem as ordinarices do Herman, que se bandeou com a boçalidade reinante, ele que já fez humor inteligente antes de ficar rico e famoso... Será que o excesso de dinheiro avilta o artista ?

24 de janeiro de 2006 às 23:14  
Anonymous Anónimo said...

Faz muita pena, mesmo muita.E faziam rir a bom rir, sem recorrer à ordinarice abjecta tão comum hoje em dia.Como diz Solnado ou Camilo de Oliveira, mal sinal é quando um humorista necessita de palavrões e boçalidades para fazer rir.É que já deu o que tinha a dar.

25 de janeiro de 2006 às 02:39  

Publicar um comentário

<< Home