27.7.07

25ª Hora

Chefes de sala
Por Joaquim Letria
CONGRATULEI-ME PELO FACTO de Luís Amado ter deixado o controle das bolas de Berlim das praias a Severiano Teixeira, mas uma fonte próxima de Amado chamou-me a atenção para que não é fácil.
O pobre do Amado gasta agora muito mais em roupas e cabeleireiro. Basta ver a reunião do quarteto para o Médio Oriente, onde desempenhou a contento o papel de chefe de sala.
O quarteto, como os de música, é sempre de quatro: Condoleeza Rice, Javier Solana, Ban Ki-moon e Sergei Lavrov, agora com um contratado encarregue das diligências a desenvolver em seu nome, que é o ex-desempregado Tony Blair. Amado faz o mesmo papel de Durão Barroso na cimeira dos Açores, quando aquele ali esteve a providenciar água do Luso e a cuidar das flores e dos “napperons” a W. Bush, Blair e Aznar que foram ali encenar a decisão da guerra do Iraque e se fartaram de levar com bombas por causa disso.
Chefe de sala rende sempre qualquer coisinha – vejam-se os casos de Sampaio, Guterres e Barroso. Ter as unhas limpas, não baralhar os talheres, falar inglês técnico e portar-se bem à mesa é meio caminho andado. Compensa. Se aparecer numas fotos, tanto melhor.
«24 horas» de 23 de Julho de 2007

Etiquetas:

1 Comments:

Anonymous €submarino said...

tratam-nos abaixo de cão.
somos eternos serviçais dessa pandilha.
é uma tristeza!

27 de julho de 2007 às 21:29  

Enviar um comentário

<< Home