19.9.07

COM UM ESTÁDIO ATRÁS DE MIM ATÉ EU LHE ENFIAVA UM TABEFE

Por João Miguel Tavares
DEPOIS DE VER Luiz Felipe Scolari soltar aquele tabefe no último jogo da selecção, dei por mim a pensar: mas será que se ele se desentendesse com o sérvio não num campo de futebol mas, digamos, numa pastelaria, por causa de uma queijada de Sintra, ou na secção de congelados do supermercado, por causa da última caixa de medalhões de pescada, seria assim tão lesto a levantar a mão? O senhor Ivica Dragutinovic - só o nome mete medo - mede 1,85 metros, pesa 84 quilos e tem cara de ter participado no cerco de Sarajevo. Não me cheira que Scolari, que não é parvo, se lembrasse de esmurrar fora dos relvados um tipo com metade da sua idade e o dobro do seu tamanho. E é por isso que o seleccionador devia ter vergonha não só pelo que fez mas pelas desculpas que arranjou. Porque, na verdade, não foi Scolari quem protegeu Quaresma, como até hoje ele continua a insistir. Foi Quaresma e a restante selecção que protegeram as costas de Scolari, enquanto ele perdia a cabeça em Alvalade.
Talvez Scolari não merecesse ser corrido da selecção por causa daquilo, mas as desculpas que arranjou tanto no próprio dia como no dia seguinte, quando já tinha obrigação de estar com a cabeça fria, dizem muito quanto ao seu carácter "mata mata" e sobre o que anda a pregar nos balneários da selecção. Porque, de facto, Scolari pediu perdão sem pedir perdão, preferindo promover um discurso tribal do género "quando o lobo ataca o rebanho o pastor deve usar o cajado", querendo fazer-nos passar a todos por ovelhinhas. O certo é que a selecção portuguesa, pelo currículo da última meia dúzia de anos, já deve ser a mais indisciplinada do planeta, ao pé da qual o Uruguai faz figura de copinho de leite.
A sucessão de casos de violência não pode ser apenas uma coincidência - há um evidente desequilíbrio emocional na equipa e uma falta de fairplay que dá um bocadinho mau aspecto. E não falo de jogadores fervorosos, que gostam de entrar às canelas do adversário ou que se envolvem em escaramuças parvas. Falo de jogadores que agridem árbitros, de treinadores que agridem jogadores e até de miúdos que roubam cartões das mãos de árbitros, coisa que nunca na minha vida tinha visto. Portugal tem esta coisa: quando as expectativas são muito altas e a equipa não está à altura das expectativas, é tão provável haver confusão quanto encontrar neve no Pólo Norte. Que um treinador como Scolari venha agora contribuir para a galeria de horrores é incompreensível e lamentável. Eu cá não o despedia. Mas fechava-o com Dragutinovic no balneário - e não deixava o Quaresma entrar.
«DN» de 18 de Setembro de 2007-[PH]

Etiquetas:

6 Comments:

Blogger bananoide said...

"Portugal tem esta coisa: quando as expectativas são muito altas e a equipa não está à altura das expectativas, é tão provável haver confusão quanto encontrar neve no Pólo Norte"

Alguns cientistas acreditam que a maioria do gelo dos pólos irá derreter dentro de algumas décadas.

Esperemos que nessa altura a selecção esteja à altura das expectativas: ou por ter melhorado a qualidade de jogo e fairplay, ou por as expectativas se terem ajustado finalmente à realidade.

19 de setembro de 2007 às 18:13  
Anonymous Anónimo said...

Eu entro só para dizer que não entro em conversas de futebol. Vocês não têm mais nada na cabeça para conversar???

19 de setembro de 2007 às 23:11  
Blogger R. da Cunha said...

Um anónimo entra aqui só para dizer que não entra, porque aqui só se fala de futebol? E então quem o mandou entrar num local tão pouco recomendável? Podia, pelo menos, usar um pseudónimo, para se distinguir de todos os anónimos que alegram a blogosfera.
Nota - Eu nada tenho a ver com este blogue, a não ser a minha frequência assídua, 'malgrée' o futebol. Ah!, diz que o Mourinho se demitiu do Chelsea. Cá está, é só futebol.

20 de setembro de 2007 às 00:46  
Anonymous Anónimo said...

Eu acho inaceitável o comportamento de Scolari, pelo seu papel que deveria ser de liderança e de bom exemplo, já para não falar de todo o dinheiro que ganha (apesar de isso nunca ter ensinado boas maneiras a ninguém).
Um adulto que comete um acto (qualquer que seja)e não assume a responsabilidade do mesmo, não é pessoa de principios ou de honra (além de ser estúpido, pois deveria saber que todo o episódio tinha sido filmado sob todos os ângulos).
É mentchira, disse ele!
Espero que seja castigado exemplarmente!
G. Noronha

20 de setembro de 2007 às 09:25  
Blogger bananoide said...

R. da Cunha,

O anónimo está cheio de razão. Este blog está pejado de textos sobre futebol, praticamente não se fala de outra coisa. Aliás, basta ver pela lista de contribuidores, são todos altas personalidades futebolísticas...

Deviam era ter crónicas que falassem de política, educação e outros assuntos importantes. Mas nada. Só futebol, até enjoa...

Eu até propunha que às 4ªs feiras fizessem passatempos e oferecessem livros. Seria fomentar a cultura, quer na pesquisa da resposta, quer pelo próprio prémio.

Assim sim, tudo isso junto faria deste blogue um blog com mérito.

Mas assim não vamos lá...

Desculpem lá, hoje acordei um bocadito sarcástico :)

Ahhh... Já me esquecia: e esta crónica pode não ser sobre futebol, pode ser sobre a psicologia de massas, sobre liderança, sobre hiprocrisia, etc.
Depende do que vai na cabeça de quem o escreveu e de quem o leu.

20 de setembro de 2007 às 09:56  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Quem costuma acompanhar este blogue sabe bem que aqui só se fala de futebol quando o assunto transcende a bola-propriamente-dita.

É, manifestamente, o caso desta crónica de JMT, um dos (poucos) cronistas "convidados" deste blogue.

20 de setembro de 2007 às 10:51  

Publicar um comentário

<< Home