20.11.07

«ACONTECE...» - Passatempo com prémio

Por Carlos Pinto Coelho


O desafio que hoje se propõe aos leitores do SORUMBÁTICO é semelhante ao que se colocou a propósito das ruínas do Convento do Carmo: escrever um comentário inspirado nesta imagem.
O prazo termina às 20h de quinta-feira, dia 22, podendo cada leitor afixar até dois textos.
*

NOTA: esta fotografia, como todas as outras aqui afixadas em posts com o título genérico «ACONTECE...», é da autoria de CPC.

-oOo-

A vencedora foi "Nanda", com o seu comentário «Diálogo absurdo», e a quem se pede que escreva para sorumbatico@iol.pt, indicando qual o livro pretendido e morada para envio.

Etiquetas: ,

14 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Neste momento, a lista de prémios (livros, como sempre) é a seguinte:

Juvenis

«Buffy, a Caçadora de Vampiros» (R. T. Cusick)
«Aventura no Oeste» (Allen Sharp)
«A Guerra dos Foguetões Machos» ( H. Pólvora)
«007 - De Novo Ordem para Matar» (Ian Fleming)
«Tarzan, o Terrível» (E.R.Burroughs)
«Os Cinco nos Rochedos do Demónio» (Enid Blyton)
«Os Sete e os Discos Voadores» (Enid Blyton)
«A Coragem de Eduarda» (Enid Blyton)
«Um Salvamento Heróico» (Enid Blyton)
«Uma Armadilha na Estalagem Sky Blue» (F.W. Dixon)
«A Volta ao Mundo em 80 dias» (J. Verne)
«Morangos com Açúcar - O Anel Egípcio» (C. Peixoto e M. Cunha)
«Morangos com Açúcar-Segredos da Ice Girl 1» (I. Gomes e V. Domingos)
«Os Diamantes de Lizy Jones» (H. Bichonnier)
«Não sou o Único - a biografia de Zé Pedro, dos Chutos e Pontapés» (H. Reis)
«O Predador» (K. A. Applegate)
«Viagem a um Mundo Fantástico» (J. Gaarder)
«A Estatueta Mágica» (D. Doyle e J. Macdonald)
«A Escola de Feitiçaria» (D. Doyle e J. Macdonald)
«A Filha do Rei» (idem)
«O Segredo da Torre» (idem)
«Tobias e o Anjo» (S. Tamaro)
«O Rapaz do Rio» (T. Bowler)
«O Esconderijo Subterrâneo» (P. Wood)
«As Fórmulas de Zoltan» (J. Cap)
«Grandes Romances para a Juventude-Contos Escolhidos (E. Chartrian)
«Ivan, o Miúdo do Circo» (M. C. Galveia Ferreira)
«João e o Segredo dos Gnomos» (idem)
«João e o Enigna da Pedra de Ouro» (idem)
«João e o Mistéri da Árvore Violeta» (idem)
===========

Ficção Científica

«Uma Nova Esperança em Pern» (2 vol.) Colecção Argonauta (Anne McCaffrey);
«A História de Nerilka» (1 vol) (idem),
«A Dama de Couro» (Michel Grimaud)
«As Sementes do Tempo» (J. Wyndham)
«Por Amor da Não-mãe» (A.D. Foster)
«Kryon» (Lee Carroll);

===========
Diversos

«Amizades Virtuais, Paixões Reais - a sedução pela escrita» (Paulo Querido/Oferta CATI),
«CiberAPANHADOS» (Hugo Caramelo/Oferta CATI)
«A Intriga» (Afonso Botelho)
«O Fabuloso Teatro do Gigante» (David Machado)
«Planalto» (Francisco José Pereira Alves);
«As Crianças e o Divórcio - O Diário de Ana» (M. S. Pinto Ribeiro)
«Gente Famosa Continua a dar Pontapés na Gramática» (Lauro Portugal)
«Morrer Devagar» (José Maria Garcia)
«E Depois do Adeus» (João Paulo Meneses)
«Paz e Guerra» (Renato R. Martino);
«Página e Limbo» (António Filipe Barradas)
«Como Construir um Disco Voador» (T. B. Pawlicki)
«Herança Negra» (W. M. Gear e K. Gear)
«Ressurreição - O Evangelho Perdido» (T. Malarkey)
«O Lugar do Morto» (S. Booth)
«Trevas Sobre China Lake» (M. Gardiner)
«Subir na Vida» (Donald Trump e M. McIver)
«Torne-se Pequeno e Pense em Grande» (S. Godin)
«Aprender a Viver» (José António Marina);
«Beijos de Chocolate» (Alice Vaara),
«Alô, Sim...» (erót.) (Mme. Claude)
«A Clínica da Amnésia» (J. Scudamore);
«A Hora H» (J. Carlzon);
«A Magia de Ler» (J. A. Marina e M. de la Válgoma)
«Paris-Saigão» (É. Cortès e J.-B. Flichy)
«Stravaganza» (Mary Hoffman);
«Iniciação ao Aquário de Água Salgada» ( C. S. Barker)
«Texasville» (Larry McMurtry)
«Assassinos a Frio» (policial) (Chester Himes)
«Casas Mortas» (Miguel Otero Silva)
«Huasipungo» (Jorge Icaza)
«Morte de Sevilha em Madrid» (Alfredo B. Echenique)
«O 14.º Zero» (Enzo Russo)
«Morte Suspensa» (Maurice Blanchot)
«O Homem que Comia Dinheiro» (Rosina Umelo)
«Domingos de Agosto» (Patrik Modiano)
«A Última Noite» (Furio Jesi)
«Os Apostadores de Cavalos Morrem Tesos» (Damon Runyon)
«Imaginem Que» (Joseph Heller)
«O Tempo de Anais» (Simenon),
«Betty» (idem),
«Waterloo» (Napoleão, Wellington)
«Uns Comem os Figos» (Warren Murphy);
«O Génio» (Dieter Eisfeld);
«A Pegada» - (2 Vol) (Larry Niven e Jerry Pournelle);
«O Últimato de Bourne» (Robert Ludlum)
«O Lobo de Hilgard» (M. Zimmer Bradley),
«Rumo ao Futuro» (Bill Gates)
«Puzzle Mortal» (R. Rendell)
«Ardabiola» ( I. Ievtuchenko);
«Quando Eu Era Fakir» (Vsevolod Ivanov)
«O Incêndio» (Valentin Rasputin)
«O Medo» (Anatole Ribakov)
«Areia Pesada» (idem)
«O Sonho de Pedra de Quéops» (Guy Rachet)
«A Fátima dos Inícios do Séc. XX» (José M. D. P. das Neves)
«Por Amor à Arte» (Andreu Martín)
«Papá» (Peter Schneider)
«Por Amor a Marie» (Régina Deforges)
«Texasville» (Larry McMurtry)
«Tudo pelo Billy» (idem)
«Rio Liberdade - Uma Aventura no Pantanal» (Werner Zotz)
«Miudagem» (Susan Minot)
«Margem Norte» (Alexandre Cabral)
«Página e Limbo» (António Filipe Barradas)
«Beatriz» (Teresa Castro d' Aire)
«O Coração das Trevas» (J. Conrad)
«O Jogador» (F. Dostoievsky),
«Romeu e Julieta» (W. Shakespeare)
«Como Água que Corre» (Marguerite Yourcenar),
«O Processo» (F. Kafka
«Mortalha para uma Enfermeira» (P.D.James)

20 de novembro de 2007 às 17:56  
Anonymous Anónimo said...

Então não há quem comece
a 'screver umas larachas?
querem q' eu escreva uns versos
e pr' a fogueira deite achas?

Lá vai. O pior é que...

Um triste sinal de trânsito
e uma janela fechada
não servem p'ra comentários
quanto mais p'ra versalhada!

20 de novembro de 2007 às 21:00  
Anonymous Anónimo said...

Já cá faltava o poeta
com seus versos empenados!
Diz duas tretas... e ala!
Vai rimar p'ra outros lados!

20 de novembro de 2007 às 21:03  
Anonymous Anónimo said...

Deixa lá de criticar
A minha arte singela;
E trata de comentar
O sinal e a janela!

20 de novembro de 2007 às 21:13  
Anonymous Anónimo said...

Pela rua não se pode ir
que o sinal não deixa passar;
da janela não se pode cair
pois alguém já a foi fechar

E que mais querem que eu diga
desta imagem que aqui está?
não olhe, não caia, não siga...
Puxem vocês p' la mona, vá lá!

20 de novembro de 2007 às 21:57  
Blogger R. da Cunha said...

Sentido proibido a viaturas automóveis (barra branca maior) e proibido olhares indiscretos para o balcão, quando a portada estiver aberta (barra branca menor, acima).

20 de novembro de 2007 às 22:13  
Anonymous Anónimo said...

Diálogo absurdo

Janela - Que fazes aí sinal ?
Sinal – Hoje? Nada! Esqueceram-me! Mas já fui útil. Por ti, janela, nunca ninguém entrou. Respeitaram-me no passado.
Janela – Somos ambos inúteis. Lá dentro há muito que não há vida. Está escuro. Não se houve um ruído. Um dia tiraram-me as curtinas, as de renda, que tinham um pato a ponto cheio. Foi o último dia que me abriram. Estava um dia de sol, como hoje.
Sinal – Lembro-me de um olhar definitivo. De uma ternura serena. Havia lágrimas na face.
Janela – Quando levou a avenca, que todos os dias regava, soube que não voltaria.
Sinal – Que absurdo de existência! Os dias passam e nada acontece!
Janela – Acontece. Acontece... nós é que já deixámos de ser protagonistas.
Sinal – Talvez volte!
Janela – Não sei... talvez!
Sinal – Esperemos!

20 de novembro de 2007 às 22:36  
Blogger R. da Cunha said...

Trânsito automóvel proibido, porque sim. Trânsito pedonal proibido, porque quem aqui morava já não mora; não vêem que as portadas estão fechadas e já nem cortinados existem?
A Menina que aqui morava?! Não se sabe, talvez se tenha finado, pois que era proibido olhá-la, por isso fenecia dia a dia. Resta o sinal, para que a recordemos.

20 de novembro de 2007 às 23:43  
Anonymous Anónimo said...

Que vergonha!

correcção:

cOrtinas

21 de novembro de 2007 às 00:34  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

O livro «Para uma Leitura de Memorial do Convento» foi oferecido no passatempo dos 85 anos de Saramago pelo que, aqui, é substituído por «Duas Histórias do Egipto», de Startis Tsirkas.

21 de novembro de 2007 às 10:41  
Anonymous Anónimo said...

Ora vamos lá, então
esta imagem comentar;
um sinal de proibição
e cortinas a-dar-a-dar...

De interesse, não há mais nada!
Que mais posso comentar?!
Que a janela está fechada?
Que o sinal está a estorvar?

21 de novembro de 2007 às 22:16  
Anonymous Anónimo said...

Não se vê gato, nem cão,
nem pessoas à janela;
Tudo tem um ar deserto
Mais não se esperava, por certo
com o sinal de proibição!

22 de novembro de 2007 às 12:06  
Anonymous Anónimo said...

Embora os carros não passem,
podem passar os peões.
Não ficavam bem na imagem
quer alegres, quer "morcões"?

22 de novembro de 2007 às 12:12  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

A partir deste momento, resta esperar pela decisão do júri (a anunciar em post próprio), a menos que seja ainda necessário proceder a uma votação (ou desempate) pelos leitores.

22 de novembro de 2007 às 20:19  

Publicar um comentário

<< Home