21.11.07

Um esquecimento…

Por Joaquim Letria
GUTERRES E BARROSO, antes de fugirem, inquinaram o pântano onde nos abandonaram e Sócrates faz o que pode e aproveita as peles de jacaré para vender carteiras e sapatos. Afundamo-nos a falar inglês técnico e a perder património.
Aquela que foi construída para ser a “praça maior” mais bonita da Europa é um vazio de tapumes miseráveis que esconde a vergonha em que, desde o princípio deste século, se afunda o Terreiro do Paço.
Os museus não abrem por falta de verbas, preciosidades desaparecem da Ajuda e da Torre do Tombo, Mafra não tem electricidade, Vila Viçosa só se visita antes de almoço, com luz natural, Queluz está ao abandono, Sagres é uma vergonha, o São Carlos uma tristeza, o D. Maria uma perplexidade, o Museu de Arte Antiga a saudade de uma perda recente e os outros não abrem, por falta de verbas.
Numa das minhas visitas a Bagdade antes da invasão americana comovi-me nos seus museus, com a Mesopotâmia e o esplendor da Babilónia em réplicas de peças riquíssimas saqueadas para museus de Berlim e de Londres.
Daqui a uns bons anos, Lisboa será um esquecimento, porque nem sequer em grandes museus da Europa vai figurar.
Restarão algumas peças, que cultivámos e acarinhámos, que irão parar sabe-se lá a casa de quem…
«24 Horas» de 21 de Novembro de 2007

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Há notícias que, lidas separadamente, podem passar despercebidas - mas que, em conjunto, têm um impacto grande.

Foi o que sucedeu quando se soube o custo da exposição do Ermitage (com ou sem "H"), ao mesmo tempo que nos informavam que havia salas do Museu NACIONAL de Arte Antiga fechadas ao público por falta de verba para pagar a vigilantes...

Mais curioso ainda, nessa rábula dos vigilantes, foi ver a Sra. Ministra da Cultura a "sacudir a água do capote", atirando a culpa para um organismo... que depende dela!

21 de novembro de 2007 às 12:33  
Blogger Luís Bonifácio said...

Esqueceu-se da Ginjinha

21 de novembro de 2007 às 14:27  
Anonymous jam said...

Continua a ser um regalo para a vista ler a 25ª Hora, paragem obrigatória todos os dias...bem haja meu caro Letria

22 de novembro de 2007 às 13:28  
Anonymous José Luiz Sarmento said...

Pois...
Para dar cabo de Bagdad foi preciso o exército mais bem equipado do mundo e muitos biliões de dólares. Para dar cabo de Portugal basta a ronha dos novos salazares.

22 de novembro de 2007 às 23:53  

Enviar um comentário

<< Home