23.4.10

A minha dentista

Por Joaquim Letria

TENHO UMA MÉDICA dentista licenciada pela Universidade de Coimbra, que é bonita, não faz doer e cantarola enquanto nos trata os dentes. Antes, tive um inglês, um português que explorava brasileiros nas avenidas novas e um simpático dinamarquês. O inglês reformou-se e foi para as Bahamas, o dinamarquês morreu, os brasileiros, que eram óptimos, regressaram ao Brasil e eu fugi do patrão deles a sete pés.
Um dia, recomendaram-me um modernaço. Queria 4 mil contos por meter uns implantes e eu saía do consultório a comer uma maçã, num sábado de manhã. Como não quis, fui despedido de cliente.
Recordo tudo isto porque leio agora, nos jornais, que desde 2008, em Portugal, foram desencadeadas 38 queixas-crime e recolhidas 47 denúncias contra alegados dentistas da nossa praça.
O Bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Monteiro da Silva, que anda a pôr a casa em ordem, diz que a maioria dessas querelas acaba em penas suspensas e multas, mas acrescenta que a Ordem nunca perdeu um único processo. E que além destes casos há uma média de 40 clínicas fechadas por ano por graves faltas de higiene sanitária.
Estou muito feliz com a minha dentista, médica de verdade, bonita e competente. E cantarola enquanto nos trata os dentes. Que mais se pode querer?
«24 horas» de 23 Abr 10

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Bartolomeu said...

pere lá... convem especeficar... a sô doutora é bonita, não discuto, mas... a competência, é a profissional ou a artistica?
é que... cantarolar, todos cantarolamos, agora... implantar... isso aí já pia mais fino... é preciso ir à raíz do dentinho...
;))))

23 de abril de 2010 às 10:49  

Publicar um comentário

<< Home