13.5.10

Tirar partido do cinto apertado

Por Ferreira Fernandes

OS IRLANDESES, por causa da mãe de todas as crises (importada dos banqueiros americanos), já apertam o cinto há dois anos. E deles não ouvimos queixumes. É gente que desconfiava do seu próprio sucesso recente. E, depois, é gente com memória, têm os anos da fome da batata registados no ADN. Eles baixaram salários e reformas e não abriram telejornais queimando bancos. Com os gregos foi outra coisa.
Os gregos são outra coisa. Eles não são vítimas só da irresponsabilidade dos financeiros, são vítimas de si próprios. Os de cima aldrabaram nas contas públicas e os de baixo, como todos os que caem no conto-do-vigário, foram vítimas da própria cupidez. Sim, ser reformado aos 58 anos (qualquer um [pode] ser reformado aos 58 anos, não só os mineiros) é cupidez e esta só não a pagam os ricos. (...)

Texto integral [aqui]

Etiquetas: ,

2 Comments:

Blogger GMaciel said...

"Agora, chegou-nos a vez de apertar o cinto"

Agora? Há quantos anos a governação anda à volta do mesmo; o défice? Há quantos anos nos exigem sacrifícios em nome da saúde financeira do país?

"As medidas financeiras doerão a todos"

A todos? Isto não é esticar um bocado a corda? Acredita mesmo que os bancos e a hotelaria - para só falar nestes - vão mesmo pagar o que todas as outras empresas pagam? E acha que os Rui Pedro Soares, mexias e compnahia lda vão desaparecer do cardápio de pagamentos? E que os gabinetes de estudos vão entrar em falência por perda da sua fatia no erário público? E que os instituos que ninguém sabe para o que são ou como funcionam vão fechar as portas?

"As políticas ajudarão a suportar a dor"

Quais políticas? A dos 5% de corte nos salários dos cargos políticos? E os carros, ajudas de custo, subsídios de presença, viagens, etc, etc, etc, manter-se-ão para não os deixar no limiar da miséria? E as reformas acumuladas, algumas por meia dezena de meses, continuam a ser pagas?


Se eu podia não ser tão estúpida? Poder, podia, mas não era a mesma coisa.

13 de maio de 2010 às 16:20  
Blogger Manuel Brás said...

Escamoteando os mexilhões

De olhos esbugalhados
e de cintos apertados
são efeitos retalhados
por motivos enquistados.

É tal a perenidade
das contas descontroladas,
mostrando insanidade
nas decisões propaladas.

A governação declinável
de argumentos coerentes
tem um carácter entranhável
de verborreias referentes.

São distorcidos muitos milhões
em vis políticas amorais,
escamoteando os mexilhões
com argumentações viscerais.

13 de maio de 2010 às 18:41  

Publicar um comentário

<< Home