23.6.10

O carbono e os faraós

Por Nuno Crato

CHEGARAM-NOS esta semana notícias sobre a cronologia do antigo Egipto. As datas que se encontraram não foram estabelecidas com base em documentos nem em monumentos. Foram obtidas através de restos de objectos muito mais prosaicos: plantas.

Num artigo publicado na “Science” desta semana (...), um grupo de investigadores de Inglaterra, França, Áustria e Israel obteve datações de sementes, têxteis e frutos associados a diversos reinados do antigo Egipto. No total, foram analisadas 211 amostras provenientes de vários museus. Os resultados confirmaram algumas hipóteses estabelecidas pelos historiadores e questionaram outras. As maiores novidades referem-se ao chamado Reino Antigo, em que se encontraram datas anteriores às anteriormente assumidas.(...)

Texto integral [aqui]

NOTA (CMR): a ilustração, uma anedota de 1924, faz parte do arquivo Humor Antigo, hoje actualizado. Já agora: também foi actualizado o blogue No Reino do Absurdo.

Etiquetas:

1 Comments:

Blogger Táxi Pluvioso said...

A História é um bordão da ideologia: serve para dar sentido ao presente, e não para elucidar passado nenhum, nem isso interessa: foi Salazar, via Camões, que deu a "História" a este povo de globalizadores...

24 de junho de 2010 às 06:08  

Publicar um comentário

<< Home