19.2.11

É igual ao litro (de gasolina)

A ELABORAÇÃO de um título de uma notícia é uma arte difícil - obriga a que, em poucas palavras, se diga o essencial, devendo ser redigido de tal forma que, se alguém se limitar à sua leitura, não seja, pelo menos, induzido em erro.
Atente-se neste. Lendo o texto, vê-se que o valor correcto é 1000 vezes maior do que o nele indicado.

3 Comments:

Blogger R. da Cunha said...

Infelizmente, esse tipo de lapsos acontece com muita frequência.
Já agora:
Sub-título de notícia do mesmo JN, em papel: "Exército volta a reprimir revolta no Bahrein à bala".
E se fosse: "Exército volta a reprimir à bala revolta no Bahrein"?

19 de fevereiro de 2011 às 12:57  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Na edição 'online' seria facílimo emendar este género de erros.

Eu, dantes, tinha a pachorra de escrever para lá (para os 'webmasters' ou para os autores dos textos), pedindo que o fizessem.
Só uma vez fui atendido: o «Público» tinha em curso um inquérito, onde o emprego do verbo 'sancionar' se prestava a confusões: tanto podia ser entendido como «dar cobertura a, concordar com...», como «castigar, aplicar sanção a...».

19 de fevereiro de 2011 às 13:18  
Blogger R. da Cunha said...

Aí vai outra.
Expresso online:
"Pacheco Pereira: Estivemos à beira da banca rota".

19 de fevereiro de 2011 às 19:36  

Publicar um comentário

<< Home