29.10.15

Ricardo Salgado, a política e o XX Governo

Por C. Barroco Esperança 
A primeira candidatura de Cavaco a PR foi concertada em casa de Ricardo Salgado, que ofereceu o jantar e o ungiu, tendo como hóspedes e cúmplices os casais Durão Barroso e Marcelo Rebelo de Sousa, todos casais da sua confiança. O erro de casting para Belém nasceu, de facto, pela mão do mais funesto banqueiro da economia portuguesa e coveiro da credibilidade bancária.
gora, num período dramático para o País, sem o orçamento para 2016 e para enviar a Bruxelas, por culpa exclusiva de Cavaco Silva, que dilatou o prazo das eleições até ao limite, mais sensível aos interesses do seu partido do que aos do País, a democracia está suspensa dos seus humores e rancores.
Este PR foi um mero veículo de propaganda deste PSD. O ódio aos partidos de esquerda levou-o a convidar Passos Coelho para lhe apresentar uma maioria estável [sem a qual, segundo ameaçou antes das eleições, não daria posse] sem ouvir os partidos.
Como comissário político, esqueceu a promessa pré-eleitoral, mera chantagem sobre o eleitorado, e indigitou finalmente, como era seu direito, o líder do maior partido, apesar de saber que não teria apoio parlamentar. Escusava naturalmente de fazer um comício e apelar à vingança sobre os portugueses por terem votado em partidos que o desprezam.
Assim se chegou à constituição do governo que amanhã tomará posse, ao meio dia, em cerimónia que se adivinha patética. Tal como as faturas pró-forma pedidas às empresas antes de uma compra, teremos um governo pró-forma que a AR certamente recusará.
A decadência ética da coligação atingiu o auge com a nomeação do vice-presidente do PSD, Marco António, para seu porta-voz, e para ministro das polícias Calvão da Silva, o fiador da idoneidade de Ricardo Salgado, no caso do presente de 14 milhões de euros, e autor do parecer que habilitou o Banco de Portugal a manter-lhe a idoneidade.
Não bastavam as nomeações de boys, a manipulação da devolução da sobretaxa do IRS, e o congelamento de despedimentos em empresas de amigos até ao dia seguinte ao das eleições. A herança de quem quis eternizar-se no poder é demasiado trágica e dolorosa mas um módico de patriotismo impunha, por razões de higiene cívica, que esta maioria, este Governo e este PR fossem neutralizados.
Ponte Europa Sorumbático

Etiquetas:

7 Comments:

Blogger Cochise said...

Os "secretários" de serviço ainda não comentaram? Espere pela pancada.
Quanto ao texto, concordo em absoluto. O personagem mais funesto da democracia portuguesa. Temos que recuar ao tempo da ditadura para encontrar alguém mais deprimente na Presidência da República, de seu nome Américo Tomaz.

29 de outubro de 2015 às 10:41  
Blogger ilha da lua said...

Muito bem analisado. Preocupa-me, ver a perversão da democracia, não só pelos falsos democratas, mas também por um novo ideal chamado "mercados"
Um mal que parece grassar pelo mundo.
Talvez tenha chegado o momento de se repensar a Europa

29 de outubro de 2015 às 21:24  
Blogger opjj said...

V.Exª é o símbolo da isenção! Espere pela pancada! Ao que parece vou receber mais um poucochinho. Será que o dinheiro vai aparecer ao toque dum clik? Que bom, empregos bem pagos,Sol e dinheiro para todos.
Costa não passa de um perdedor espertinho e aldrabão.
Nunca foi nem será confiável.Olhe bem para a cara dele!
Os impostos pagam 85% das despesas alguém terá que pagar o resto para mantermos o status quo.

30 de outubro de 2015 às 10:30  
Blogger Cochise said...

Uff, tardou mas apareceu. Já estava a ficar preocupado...

30 de outubro de 2015 às 14:39  
Blogger 500 said...

Tardava porque foi à posse do governo do láparo, digo eu.

30 de outubro de 2015 às 22:46  
Blogger opjj said...

V.Exª pode provar essa mentira patética de que Salgado tal e tal? Salgado sempre foi por Sócrates, pois este é que lhe deu sempre garantias.Veja-se a PT.
Ao contrário do que diz a candidatura de Cavaco teve origem em Rui Machete. Para sua informação, vivo do meu salário, não tenho partido e só fui a 2 manifestações(comícios) na vida. Uma histórica na Alameda com Mário Soares e outra no Campo Pequeno do MDPCDE a convite dum colega que era filiado.Neste comício, recordo que uma cana dos foguetes deitados, caíu na lapela do casaco de um dos presentes e se tivesse caído na cabeça, matava-o.Já agora, não bato palmas a ninguém,olho para realidades e a verdade das causas e das pessoas.
Passe bem.

31 de outubro de 2015 às 09:59  
Blogger opjj said...

Adenda. Fui a uma 3ª que me trouxe amargos de boca, pois fui preso.

31 de outubro de 2015 às 10:04  

Enviar um comentário

<< Home