10.12.15

As próximas eleições presidenciais

Por C. Barroco Esperança
Depois de uma década sem presidente da República, habituados ao comissário do PSD, o País descrê do cargo mais simbólico do regime e da democracia que o 25 de Abril nos legou, mas é exatamente por esse legado que devemos ser exigentes e participativos.


Carecemos de um PR que respeite todos os partidos e os encare na razão direta do seu peso eleitoral. O PR não é um comentador, é um juiz alheio à luta partidária, o supremo magistrado a quem cabe respeitar e fazer respeitar a Constituição. Não pode ser o cata-vento de aspirações que se arvore em vendedor de sonhos.

Não pode inventar escutas, fomentar intrigas e ameaçar outros órgãos da soberania. Não deve privilegiar quem partilhe os seus preconceitos e injuriar quem tenha outras opções. Quem vier a ser eleito não pode chantagear os portugueses, intrometer-se na formação de governos ou fazer birras e manifestar ressentimentos.

Estou certo de que os eleitores saberão escolher quem, à semelhança de Ramalho Eanes, Mário Soares e  Jorge Sampaio, prestigie o cargo e não envergonhe os portugueses.

Nas personalidades que declararam submeter-se a sufrágio é fácil encontrar quem tenha a cultura, sensibilidade e inteligência para desempenhar tão importantes funções. Direi mesmo que os principais candidatos não têm um passado nebuloso quanto aos negócios ou às relações com o fisco e a Segurança Social.

Basta escolher quem, tendo essas características, garanta maior isenção partidária, isto é, quem mais se afastar do perfil do último que habitou Belém nos últimos dez anos.

Etiquetas:

9 Comments:

Blogger opjj said...

V.Exª é um doente obcecado. Mas já dá palpites do que deseja. Vai ter de engolir MARCELO e já começa a denegri-lo. Se se acha tão bom, CANDIDATE-SE.
Vai ter de juntar á sua colecção, Soares,Sampaio e NÓvoa.
Pode acreditar, Marcelo nunca escreverá um texto tão odioso, ordinário, difamador,faccioso, fundamentalista, por uma razão simples, porque tem nível e berço e não precisa do chapéu do Estado.

10 de dezembro de 2015 às 12:07  
Blogger Cochise said...

Este comentário foi removido pelo autor.

10 de dezembro de 2015 às 13:39  
Blogger Carlos Esperança said...

Não costumo comentar "comentários" mas estes dois leiotres, pela assiduidade e desvelo com que acolhem a minha prosa, o que agradeço, merecem estima pessoal.

opjj: No meu blogue Ponte Europa publicarei em breve a carta de Marcelo Rebelo de Sousa ao padrinho Marcelo Caetano, um exemplo da vocação pidesca que Freire Antunes publicou no 2.º. volume de «Cartas a Marcelo Caetano».

Cochise: Em defesa da língua portuguesa, quero informá-lo de que o comentador de que não gosta jamais escreveria 'bolsar' onde devia escrever 'bolçar'. Até para ofender se exige respeito pela ortografia.

10 de dezembro de 2015 às 14:52  
Blogger José Batista said...

Eu cá votarei em Maria de Belém.
Vai sendo tempo de colocarmos uma mulher na presidência da república. Já em tempos teria gostado de ver eleita Maria de Lurdes Pintasilgo. Vamos ver se é desta (reconheço que é muito difícil...).
Tanto mais que o cargo e as funções decorrentes tiveram muito fraco desempenho nos últimos dez anos. A ver se eu passo a escrever Presidência da República.

10 de dezembro de 2015 às 15:49  
Blogger 500 said...

Cá para mim, o opjj é um heterónimo do C. Barroco Esperança. O Carlos Medina Ribeiro (ó Carlos, que é feito de si?) é que deve saber.
Não desgostava de ver uma mulher em Belém, mas não sei se a Belém tem perna suficiente para descobrir o caminho até lá, salvo se uma qualquer estrela a guiar.
Para já, sei que o cata-ventos não leva o meu voto, mas pior que o avô Aníbal é uma impossibilidade matemática.

10 de dezembro de 2015 às 19:05  
Blogger José Batista said...

Realmente, o CMR eclipsou-se. Se não for por razões de saúde é quase indesculpável. É um Homem bom e simpático, digo-o eu que não tenho o privilégio de o ter conhecido pessoalmente. Ele também tinha um doido perseguidor, um cobardolas mal formado, mal educado e mal intencionado, que vinha comentar escondido num nome ridículo. E CMR era tão Homem que nunca eliminou nenhum daqueles escarros porque, afinal, aquelas bocas só rebaixavam quem as produzia, aos olhos de quem sabia quem (ele) era. E o sábio do CMR deixou-o à solta, a espolinhar-se à vontade no esterco que fazia.
Mas isto são as nódoas da rede, sempre presentes. Voltando ao CMR, ele faz(-nos) falta. Faz sim senhor.
Um grande abraço, para ele.

10 de dezembro de 2015 às 21:25  
Blogger Carlos Esperança said...

Cochise:
A nossa diferença reside entre quem assume os seus erros e quem, por vergonha, os apaga, sem pedir desculpas.

11 de dezembro de 2015 às 10:06  
Blogger opjj said...

Vasco Santana dizia; chapéus há muitos seu palerma!

Com tantos louvores a Eanes, Soares e Sampaio e "Nóvoa", foi com Cavaco Silva que houve pela 1ª vez um governo com PC e BE.
Afinal qual é o mais democrata?

Pior cego é o que não quer ver.

11 de dezembro de 2015 às 16:37  
Blogger 500 said...

Este comentário vai figurar nos anais! E o facto, em si, vai constar de qualquer programa de Política dos cursos superiores das universidades privadas, tipo Moderna.

11 de dezembro de 2015 às 23:24  

Publicar um comentário

<< Home