22.9.20

No "Correio de Lagos" de Set 20



Ainda em relação ao flagelo que atrás se refere, nunca é demais recordar que existe, para o prevenir, uma das inúmeras leis-da-treta em que o nosso país é fértil, e que prevê, para os gatafunhadores mais prejudiciais, coimas que podem ir até 25 mil euros! Mas nós não pedimos tanto, nem sequer que essa garotada seja obrigada a limpar o que sujou. Já nos dávamos por satisfeitos se esses “aprendizes de correctores da História” fossem obrigados a passar uma hora no Museu de Cera dos Descobrimentos, onde se aprende muita coisa.

Já agora, e sobre este simpático equipamento da cidade, deixamos duas notas, suscitadas por uma visita recente: 

A primeira prende-se com o preço dos bilhetes (€ 4 para crianças e € 6 para adultos). O museu é privado, pelo que cobra o preço que entende, claro, mas é estranho que, ao contrário do que habitualmente sucede em museus de todo o mundo, não haja um preço reduzido para os mais idosos, nem sequer — no nosso caso — para os lacobrigenses. Talvez a CML pudesse dar uma ajuda, que não envolveria tanto dinheiro como isso. 

A segunda, e que aparece já no fim da visita, é o texto — bilingue — que refere “a ilha de Macau”. Sucede que Macau é (e sempre foi) uma península, e até já passámos o seu istmo a pé, a caminho de Zuhai, no Posto Fronteiriço da Porta do Cerco. A experiência de casos semelhantes mostra que só muito raramente essas coisas são corrigidas, mas aqui fica o reparo.

Etiquetas: ,

1 Comments:

Blogger SLGS said...

As "novidades" vêm sempre a calhar.

22 de setembro de 2020 às 17:39  

Publicar um comentário

<< Home