28.4.05

O adjectivo

(A imagem mais adequada ao texto não é esta. O que sucede é que, quando está em causa afixar desenhos de José Vilhena, tem de se ser cuidadoso...)

Nos últimos dias, foram autorizados a ir dormir a suas casas...

... o adepto da bola que esfaqueou dois agentes da GNR em Albufeira

... os 23 suspeitos de recrutarem portugueses para trabalho escravo em Espanha

... os suspeitos da morte do inspector da PJ João Melo

Neste último caso, e para apurar eventuais responsabilidades, a PGR abriu um rigoroso inquérito.

Nota pessoal: Adoro o adjectivo «rigoroso»! Quando aplicado a este género de anedotas, só me faz lembrar José Vilhena que, num dos seus saborosos livros, o usava como substantivo, colocando-o na boca de uma galdéria:

«Afinfa-me com o rigoroso

7 Comments:

Anonymous Anónimo said...

O Público traz a história toda, hoje:

www.publico.clix.pt/shownews.asp?id=1221819&idCanal=95

28 de abril de 2005 às 10:36  
Anonymous Anónimo said...

Dado que houve magistrados que garantiram que trabalhavam mais tendo 2 meses de férias do que tendo só 1, bem podiam mandar estes juizes gozar 12 meses por ano.

28 de abril de 2005 às 15:25  
Anonymous Anónimo said...

Num verdadeiro vómito mediático, as televisões transmitiram a "ovação popular" que receberam os arguidos acusados de escravatura!

À saída do tribunal, foram recebidos como heróis por familiares e amigos (e admiradores...), cena que foi transmitida vezes sem conta e sem uma palavra crítica, como se fosse a coisa mais natural do mundo.

Uma vergonha.

28 de abril de 2005 às 23:02  
Blogger Pólux said...

Quer saber uma coisa, Medina Ribeiro?

Hoje de manhã li este seu post, mas como estava com muita pressa não o comentei. Faço-o agora, com uma simples palavra:
Obrigado.

E de imediato mais algumas: obrigado, porque, não me tendo o dia corrido lá muito bem, dei por mim constantemente a sorrir com a vigorosa alusão ao "vigoroso".
Bem-haja, bem como o autor da "Gaiola Aberta", pois são estes bons momentos que aliviam outros menos bons.
Abraço,
PC

28 de abril de 2005 às 23:58  
Blogger Pólux said...

"Rigoroso" e não "vigoroso". Assim é que é. Ou melhor, ambos.(sorriso)

PC

29 de abril de 2005 às 00:21  
Anonymous Anónimo said...

Esta notícia (Diário Digital / Lusa), colocada a par das nossas, bem podia intitular-se «O oito e o oitenta»!
--
«Dada a natureza da legislação daquele país (o Dubai), que penaliza o consumo de estupefacientes, as diligências realizadas ainda não surtiram os efeitos desejados», refere o comunicado.

O jovem cineasta Ivo Ferreira, de 29 anos, está numa cadeia numa esquadra no Dubai desde 5 de Abril, após ter sido detido na sequência de uma denúncia feita pela ex-namorada do amigo com quem partilhava o apartamento, onde foi encontrado o resto de um cigarro de haxixe.

29 de abril de 2005 às 09:03  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Caro Polux,

Obrigado pelas suas simpáticas palavras.

Tanto quanto me recordo, a frase completa do José Vilhena é: «Afinfa-me com o "rigoroso", ó marquês!».

Julgo que "o marquês" era um fadista e "O rigoroso" o nome de um fado.
Não sei em que livro vem.

Escrevi ao JV, mas ele tinha a caixa-de-correio cheia.

29 de abril de 2005 às 09:45  

Publicar um comentário

<< Home