19.9.08

Comunas e burguesia

Por Antunes Ferreira
PRONTO. O Presidente do Governo Madeirense afirmou ontem no Funchal que Portugal está a viver «em cima de uma panela de pressão». E disse mais. De acordo, ainda, com a Comunicação Social, Alberto João Jardim acentuou: «Isto tudo é de uma grande irresponsabilidade», tendo considerado como sendo facto «insólito, em qualquer democracia europeia», que em Portugal as sondagens recentemente publicadas indicarem que há «uma intenção de voto de 20 por cento nas organizações comunistas todas somadas». O que, para ele, Jardim, «é impensável em qualquer país da União Europeia». Assim, disse ainda «um em cada cinco eleitores está disposto a votar no partido comunista».
O governante madeirense opinou também que enquanto se assiste a este cenário «a burguesia portuguesa, com a sua tradicional incultura, acha que está tudo bem, que os direitos sociais dos trabalhadores podem continuar a ser violados, porque o que interessa é ganhar dinheiro e que o mercado continue a funcionar selvaticamente».
(...)
Texto integral [aqui]
NOTAS: blogue do autor: Travessa do Ferreira; cartoon cedido por Sergei

Etiquetas:

8 Comments:

Blogger Táxi Pluvioso said...

Ele está errado porque os portugueses, por mais que lhe carreguem o lombo, nunca se revoltarão. Queira o Queiroz nos dê alegrias dentro das quatro linhas, porque o padre, o fadista e a boa culinária, já são valores seguros.

O Arnaldo de Matos agora trabalha para o Alberto (ou para os outros bichos da Madeira ricos).

20 de setembro de 2008 às 11:58  
Blogger Jorge Sena said...

Do Jardim é de esperar tudo, tudo mesmo. Mas agora é demais. Sabe como poucos dar marretadas em todas as direcções. Aqui é uma no cravo outra na ferradura.
E ó Táxi Pluviosos: o Alnaldo de Matos é medeirense...

20 de setembro de 2008 às 12:19  
Blogger ARISTIDES DUARTE said...

E eu pertenço a esses tais 20%. Muito honrado me sinto com isso!!!

Haviam de ser 30 ou 40%

20 de setembro de 2008 às 14:32  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

O "cartoon" (AJJ vestido de Napoleão) foi tirado da colecção da autoria de Sergei, que ele amavelmente disponibilizou para o Sorumbático.

O engraçado é que o Expresso de hoje (pág. 12) traz a seguinte frase do grande líder:

«As casas-de-saúde estão cheias de pessoas que dizem ser Napoleão ou Júlio César»

20 de setembro de 2008 às 16:18  
Blogger Fernando Sosa said...

Se por um lado nada simpatizo com o comunismo (especialmente o português porque é o que mais perto se encontra), por outro talvez simpatize ainda menos com o Sr. da Madeira. Não propriamente pelo partido que representa (bem...não se sabe por quanto mais tempo o fará, pois já fala em novo partido), mas pela descrição de sua pessoa bem construída neste post.


Cumprimentos

20 de setembro de 2008 às 17:53  
Blogger Sérgio Patinha said...

Nestes momentos de desnorte ideológico o sr. Alberto João Jardim mantém uma coerência digna de uma cassete comunista. E não é que tem razão! Ou afinal não se está a mexer nos direitos dos trabalhadores e a nossa burguesia é, afinal, dotada de cultura política? Quanto a serem 20% de comunistas, compreenda-se de uma vez por todas: se de nada serve votar nos partidos tradicionais do poder pois a sua política é id~entica e serva da grande burguesia que eu não diria inculta, mas sim garganeira, então vote-se nos comunistas, ou não se vote. A 1ª hipótese fica reservada para os que ainda acreditam na democracia, a segunda para aqueles, como eu, que já não depositam esperança neste sistema.

20 de setembro de 2008 às 22:51  
Blogger Táxi Pluvioso said...

Que ele é madeirense sei eu. Mas é um exemplo do engenho luso no caminho terrestre para a fortuna.

21 de setembro de 2008 às 08:42  
Blogger Júlio P. Andrade said...

Aviso à navegação

Esse bicho da Madeira, o Caruncho, não merece o tempo que se perde com ele. Antunes Ferreira, acho bem o que escreveu. Mas guarde a sua prosa escorreita e brilhante para outra gente. Civilizada

22 de setembro de 2008 às 01:54  

Publicar um comentário

<< Home