25.7.05

A Ota, a bOta e a perdigOta (*)

CAMPOS e Cunha acabou por sair poucos dias depois de ter dito, por boca e por escrito (no Governo, no Parlamento e no «Público»), que não se considerava esclarecido acerca das justificações económicas da Ota e do TGV - indo contra as decisões voluntaristas de Sócrates (antes) e de Mário Lino (depois), que foram do género «Avance-se porque sim, e até já se estudou demais!».

Curiosamente, hoje mesmo (numa longa entrevista ao «DN»), Fernando Pinto (o big-boss da TAP, que é suposto estar bem informado sobre aviões e aeroportos), diz qualquer coisa como:
«Pode até estar tudo muito bem, mas o certo é que, até hoje, ainda não vi um único estudo a justificar a Ota»

E há menos de duas horas, na RTP1, António Vitorino disse exactamente o mesmo que Campos e Cunha - com a única diferença que o fez com aquele sorriso de pessoa satisfeita-consigo-mesma que tão bem lhe fica.
-
(*) N"Ota": Tendo em conta um pertinentíssimo comentário que aqui foi feito, corrigi, neste texto, "OTA" por "Ota"

13 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Confuso, meu caro?

Então espere só o que aí vem para os lados do Largo do Rato...

E.R.R.

25 de julho de 2005 às 23:16  
Anonymous Anónimo said...

De facto, e especialmente para a OTA, pode estar tudo muito bem, mas a ideia com que se fica é que se trata, pura e simplesmente, de cedências a lóbis.
Estudos de viabilidade técnica e económica, se os há, não se sabe onde páram.
O mais provável é que seja como o Túnel do Marquês, em que os estudos "se vão fazendo" à medida que a obra avança!!

Rosário

26 de julho de 2005 às 00:25  
Blogger heidy said...

Com este avanço da candidatura do Dr Mário Soares, existe um certo Ministro que também estava com esperança de o aceitarem como candidato, também irá alegar cansaço.... não sei não. Não percam os próximos capítulos.

26 de julho de 2005 às 00:26  
Anonymous Anónimo said...

Ah mas a OTA e o TGV têm um rosto e esse rosto é o todo poderoso lobby da construção...mais conhecido como Lord of the Chaos... esse sim é quem define as estratégias e quem manda nos estudos. Sócrates e Cia são só bonecos patetas que caso não cumpram bem o seu papel serão corridos como tantos outros já foram.
Lily of the Valley

26 de julho de 2005 às 08:47  
Anonymous Matateu said...

que agonia e que prepotencia...

26 de julho de 2005 às 11:58  
Anonymous Anónimo said...

Já estou como "o outro":
«Eu não percebo nada disso, mas acho que»...

TGV:

a) TGV de Lisboa para Madrid: OK, parece evidente que terá de existir, um dia.
Para passageiros e mercadorias.

b) TGV de Lisboa para Porto (depois da fortuna que se gastou com os pendulares e com a malta a preferir a autoestrada) não percebo a relação custo/benefício.

c) TGV Porto-Vigo (não faço ideia. É um assunto para sábios.

--
OTA:

a) OTA com manutenção da Portela, talvez sim.

b) OTA anulando a Portela(para a urbanizar, é claro...): ESTÃO A GOZAR CONNOSCO?????

Duarte

26 de julho de 2005 às 12:18  
Anonymous Anónimo said...

O facto de, pelos vistos, os estudos sobre a OTA serem quase "secretos" (o mais certo é nem sequer existirem seriamente), faz-me desconfiar de muita coisa.

E isso alimenta razoáveis suspeitas de que o que está em jogo são interesses gigantescos (especialmente se acompanhada pela destruição da Portela) que vão desde os taxistas mafiosos até aos patos-bravos e aos donos dos terrenos.

Quem é que irá de Lisboa à OTA apanhar um avião para o Porto?
Quem é que fará o caminho inverso, para depois(especialmente de manhã cedo) ficar bloqueado na A1 e nunca mais chegar a Lisboa?

John

26 de julho de 2005 às 12:27  
Anonymous Anónimo said...

caro john, quanto ao facto incontornavel que se o aeroporto for levado para a OTA, nunca mais ninguem vai querer ir de avião para fazer a viagem lisboa/porto, não se preocupe, os tipos também já pensaram nisso, portanto vão criar o TGV entre essas duas cidades, para que a gente não pense que eles são OTÁrios!

Lily of the valley

26 de julho de 2005 às 12:57  
Anonymous nu e cru said...

Agora que se fala tanto no novo aeroporto, toda a gente desatou a escrever OTA (em maiúsculas) e não Ota. Acontece que as letras O, T e A não são iniciais de coisa nenhuma, são apenas as letras que compõem a palavra Ota, a qual designa uma localidade, assim como uma ribeira que junto a ela passa: a Ribeira da Ota. Ver, por exemplo, em http://tinyurl.com/a8p4j

Vá lá, pelo menos as pessoas não escrevem O.T.A., com pontos e tudo...

26 de julho de 2005 às 15:08  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Caro "nu e cru",

Obrigado!
Não há nada como aprender com quem sabe!

26 de julho de 2005 às 15:46  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Curiosidade:

Hoje, na TV, pudemos ver várias placas sinaléticas:
Umas indicam "OTA", outras "Ota".

A que está mesmo à entrada da povoação é do primeiro tipo.

26 de julho de 2005 às 21:54  
Blogger heidy said...

Também já ouvi falar de assuntos que servem apenas para distrair o povo. :) Futebol, telenovelas e Ota. :) Digo eu. Mas claro que eu só sei que nada sei. E tenho a mania da conspiração.

27 de julho de 2005 às 09:28  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

No «DN» de hoje diz-se o mesmo:

«O PSD regista a entrada em cena do deputado António Vitorino para discordar do plano de investimentos do Governo socialista. (...) o antigo comissário europeu colocou-se ao lado do "ministro demitido" - vulgo Campos e Cunha - na defesa do rigor, contra a política de "grandes obras públicas" - nomeadamente o TGV e a Ota - de Mário Lino e Manuel Pinho (...)

--
http://dn.sapo.pt/2005/07/27/nacional/psd_explora_divisao_entre_vitorino_e.html

27 de julho de 2005 às 10:38  

Enviar um comentário

<< Home